Topo

Crime da vilã e “ressurreição” da vítima se repete em 3 novelas de Walcyr

Mauricio Stycer

31/10/2019 05h01

Teo sobrevive à tentativa de assassinato de Josiane em A Dona do Pedaço

Em participação no "Altas Horas", em setembro, Walcyr Carrasco contou que escreveu a sinopse de "A Dona do Pedaço" em duas semanas. Em outubro, no "Conversa com Bial", o autor revelou que criou a trama com uma "certa pressa", em três semanas.

Duas ou três semanas, não importa tanto. O espectador consegue perceber, a todo momento, que a trama da novela é pobre, mal estruturada e sem imaginação. Para piorar, Carrasco escreve cenas de forma apressada, sem maiores cuidados, com a intenção de provocar polêmica e repercussão nas redes sociais. Como perguntei em agosto: Para que fazer uma cena legal se você pode fazer uma cena idiota?

Nesta reta final, espectadores mais atentos notaram mais um sinal da pressa e da falta de criatividade do autor. A tentativa de assassinato de Teo (Rainer Cadete) cometida por Josiane (Agatha Moreira) guarda muitas semelhanças com cenas vistas nas outras duas novelas das 21h escritas por Carrasco, "Amor à Vida" (2013-14 ) e "O Outro Lado Paraíso" (2017-18).

Em "Amor à Vida", Aline esfaqueia Ninho antes de fugir

Na primeira, a vilã Aline (Vanessa Giácomo) ilude Ninho (Juliano Cazarré), seu amante, e o esfaqueia antes de fugir. Milagrosamente, apesar dos muitos golpes, Ninho consegue sobreviver e escapa do galpão onde foi apunhalado. No leito do hospital, entre a vida e a morte, ele revela que Aline está fugindo naquela mesma noite para o exterior.

Com uma tesoura, Sofia atacou Mariano e o enterrou, em "O Outro Lado do Paraíso"

Na segunda, Sofia (Marieta Severo) vai atacar seu amante, Mariano (o mesmo Juliano Cazarré), com uma tesoura. Com a ajuda de Zé Victor (Rafael Losso), a vilã enterra o garimpeiro, mas ele reúne forças e sai da cova. Acolhido e tratado por Mãe (Zezé Motta), Mariano reaparece na última semana da novela para, com seu depoimento, ajudar a condenar Sofia.

Com um picador de gelo, Josiane ataca Teo em "A Dona do Pedaço"

Esta semana, em "A Dona do Pedaço", a vilã Josiane usou um picador de gelo para matar o namorado Teo dentro de um motel. Eliminou todas as provas do crime e se livrou do celular que guardava a foto que provaria que é uma assassina. Ela só não poderia imaginar que, tal como os mortos-vivos das duas outras novelas, Teo iria sobreviver e incriminá-la. É o que veremos nos próximos capítulos.

Veja também
Por que o texto da novela "A Dona do Pedaço" é tão pobre
Novela é emoção e o público adora os absurdos da trama, diz Silvio de Abreu
"A Trouxa do Pedaço": Walcyr comete erro crucial com protagonista da novela

* * *

Ouça o podcast UOL Vê TV, a mesa-redonda sobre televisão com os colunistas Chico Barney, Flávio Ricco e Mauricio Stycer. Os podcasts do UOL estão disponíveis em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer