Topo

Fantástico expõe imagem e constrange adolescentes em “pegadinha do bem”

Mauricio Stycer

21/10/2019 00h24

Renata Ceribelli apresenta o quadro "Meu Filho Nunca Faria Isso", no Fantástico

O "Fantástico" estreou neste domingo (20) o quadro "Meu Filho Nunca Faria Isso", uma adaptação de "My Kid Would Never Do That", exibido pelo programa "Dateline", da NBC, em 2015.

Trata-se de mais uma experiência em que situações são simuladas com o objetivo de testar a reação das pessoas e dar lições de moral. Em resumo, "pegadinhas do bem" destinadas a "ensinar" como as pessoas devem se comportar.

No novo quadro, apresentado por Renata Ceribelli, adolescentes são filmados, sem saber, em situações simuladas por atores contratados pela Globo. A emissora conta com o consentimento dos pais, que desejam ver a reação dos filhos.

No primeiro episódio, uma atriz se passou por uma jovem alcoolizada, que oferece uma carona a um grupo de adolescentes num veículo. E elas aceitam.

Na conclusão do quadro, as adolescentes são informadas que tudo não passou de uma pegadinha. Diante das câmeras, elas encaram as mães, decepcionadas com a atitude delas.

É claro que adolescentes não devem aceitar caronas de pessoas desconhecidas e, ainda mais, alcoolizadas. Ninguém discute isso. Mas a melhor forma de ensinar isso é expondo algumas jovens como cobaias de uma experiência exibida pela televisão? O constrangimento a que elas foram submetidas compensa?

Ceribelli defende o quadro: "A gente toma muito cuidado. É sempre com a concordância deles que vai para o ar, e o que a gente teve de resultado é que eles gostaram. Na verdade, a nossa ideia é muito mais provocar a discussão entre pais e filhos, levar essa discussão para quem está assistindo", explica.

"Meu Filho Nunca Faria Isso" não é o primeiro quadro do gênero que o "Fantástico" exibe. Em 2013, o "Vai Fazer o Quê?", uma adaptação de um programa da rede americana ABC, testava a reação de pessoas na rua a situações-limite – violências contra moradores de rua, machismo, homofobia etc.

Apresentado por Ernesto Paglia, o quadro fez sucesso e voltou ao Fantástico em 2014 e 2015, trazendo outras situações simuladas, além de especiais no Natal, em 2016 e 17.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer