Topo

Na disputa entre HBO e Netflix, Amazon brilha e confirma a sua força

Mauricio Stycer

29/09/2019 05h01

Phoebe Waller-Bridge em cena da segunda temporada de "Fleabag", série da Amazon premiada com o Emmy

O anúncio dos vencedores do Emmy, neste domingo, confirmou que a Amazon já é, de fato, uma das protagonistas entre as empresas que estão produzindo conteúdo audiovisual no mercado americano.

Uma série da Amazon, "The Marvelous Mrs. Maisel", já havia sido muito bem-sucedida na edição 2018 do Emmy. Mas o resultado deste ano, com prêmios para três séries diferentes, mostrou que a empresa pode ir mais longe.

A Amazon faturou quatro prêmios importantes de comédia com a excelente "Fleabag" e, dois dias depois, já anunciou um contrato com a criadora da série, Phoebe Waller-Bridge, para desenvolver novos projetos.

O serviço de streaming ainda ganhou dois Emmy com "Mrs. Maisel", um dado à atriz Alex Borstein e outro, na categoria de atriz convidada, para Jane Lynch, além de um para o ator Ben Whishaw, da minissérie "A Very English Scandal". Sete prêmios, enfim (veja a lista completa aqui).

Incluindo todas as categorias, inclusive as técnicas, a HBO levou 34 estatuetas, a Netflix saiu com 27, enquanto a Amazon conquistou 15, um bom indicador, de fato, do seu investimento em conteúdo original. O seu catálogo ainda não se compara ao dos dois rivais, mas mostra que a empresa tem ambições.

Em julho, o serviço anunciou a sua primeira produção brasileira, um episódio da série documental "All or Nothing", que acompanha times ao redor do mundo, dedicada à seleção brasileira durante a Copa América 2019. Mas ainda é muito pouco.

Para conquistar o espectador brasileiro a empresa sabe que é necessário temperar o seu catálogo com o sotaque nativo. Isso talvez explique a recente contratação de João Mesquita para comandar a divisão da empresa no país. Trata-se de um executivo experiente, com passagens importantes pelo Telecine e pela Globoplay.

No início do mês, a empresa fez um anúncio de impacto, integrando o serviço de streaming a um pacote mais amplo de produtos, incluindo música, e-books, games e entregas de mercadorias. Tudo junto por um preço mais baixo do que o cobrado anteriormente apenas para quem assinava por conteúdo de TV. Vale acompanhar os próximos passos.

Stycer recomenda
. Silvio Santos é criticado por fazer concurso de beleza com crianças
. Fátima provoca catarse com fala da mãe de Ághata, mas isso é função da TV?
. Filme mostra Hebe livre e sem censura: "Vivemos num mundinho de merda"
. Record volta a exibir reportagem negativa sobre principal sócio da CNN

Pior da semana
Falta de planejamento ainda é o maior problema da Record

Melhor da semana
Seis provas de que Livia Andrade é hoje a melhor pessoa na tela do SBT

Uma versão deste texto foi publicada originalmente na newsletter UOL Vê TV, que é enviada às quintas-feiras por e-mail. Para receber, gratuitamente, é só se cadastrar aqui.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer