Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Quatro dias após dica de Mion, Caíque indica Zoli para a sua primeira roça

Mauricio Stycer

20/11/2018 05h01


"Onde está João Zoli?", perguntou Marcos Mion na última quinta-feira (15). "Aqui", respondeu o peão. "João, estou pensando aqui, me corrige se estiver errado. Você é o único que ainda não botou a chapeleira do fazendeiro na cabeça e nunca foi pra roça também", disse o apresentador praticamente intimando os demais peões a tomarem uma atitude.

Não demorou muito. Quatro dias depois, nesta segunda-feira (19), Caíque Aguiar mostrou que compreendeu perfeitamente o "pedido" de Mion: "Acho que a experiência de sentar no banco da roça é ruim, mas também pode ser bom. Eu senti isso, e depois tive a alegria de voltar fazendeiro. Então é hora de votar no João, que ainda não teve a experiência de sentar nesse banco", disse ele, ao indicar o filho de Claudio Zoli.

A interferência de Mion foi explícita e, para muitos fãs, legítima. Caberia ao apresentador esta função de dar dicas, mostrar caminhos, sugerir estratégias – como Tiago Leifert fez nas últimas duas edições do "BBB".

Ao agir como se fosse um jogador, Mion mostra um engajamento com o reality show que outros apresentadores da "Fazenda" não tiveram. Da mesma forma que Leifert com o "BBB".

Além de Zoli, a roça da semana foi formada por Rafael Ilha, o mais votado pela casa, com três indicações, e Léo Stronda, escolhido em uma dinâmica de resta um.

Por que a Record demorou uma década até achar o apresentador da Fazenda

Veja também
Em interferência incomum, Mion lembra aos peões que Zoli nunca foi à roça
João Zoli, Léo Stronda e Rafael Ilha estão na nona roça de "A Fazenda 10"

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.