Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Eliminação de Gabi mostra que a história da “Fazenda 10” já está escrita

Mauricio Stycer

02/11/2018 00h45


"O Brasil votou, e votou bastante", repetiu Marcos Mion antes de anunciar o resultado da sexta roça da "Fazenda 10", confirmando o que a enquete do UOL já previa: Gabi Prado está fora do reality, derrotada com facilidade por Evandro Santo.

Optar pela eliminação de uma moça engraçada, altamente performática, que oferecia barracos diários, diz muito sobre os humores do público nesta "Fazenda". Assim como ocorreu com Ana Paula Renault e Aloisio Chulapa, Gabi Prado foi vítima de uma onda vingadora, que não perdoa comportamentos imprevisíveis, não lineares.

O que Evandro fez para merecer a vitória? Acredito que não foi ele que venceu. O placar final (64,14% versus 35,86%) confirma, na minha opinião, que Gabi foi rejeitada de forma retumbante pelo público.

Tudo indica que a história desta edição já está escrita. Se Gabi contou com apenas um terço dos votos, é possível arriscar que não há mais esperança para a sua turma no programa.

Suspeito que o jogo aponta para uma reta final com os "vilões" Rafael Ilha e Nadja Pessoa e quem mais estiver ao redor deles. A dupla encarna a "verdade" – e o público parece se identificar com esta luta dos "humilhados" contra tipos que demonstram alguma superioridade em relação a eles.

Este Brasil que Mion vê votando na "Fazenda" quer "papo reto", nenhuma dúvida e muita determinação. Sangue nos olhos, enfim.

Por que a Record demorou uma década até achar o apresentador da Fazenda

Veja também
Fazenda: Brigas de Ana Paula e Nadja parecem escritas por autor de novelas
Briga entre Nadja e Gabi lembra os melhores piores momentos da Fazenda

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.