Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

“Achei que dava para fazer o domingo só no gogó. Errei”, diz Datena

Mauricio Stycer

02/08/2018 05h01

Por 13 dias, entre o final de junho e os primeiros dias de julho, José Luiz Datena abalou a política de São Paulo com a decisão de disputar uma vaga ao Senado pelo DEM. Ao desistir, após ter posado para fotos ao lado de João Dória, candidato do PSDB ao governo do Estado, o apresentador da Band provocou nova polêmica – com repercussões tanto no meio político quanto na televisão.

Ao voltar ao comando do seu programa dominical, que deixou de apresentar por duas semanas, teve que aceitar uma mudança no nome – de "Agora É com Datena" para "Agora É Domingo".

Convidei Datena para falar ao "UOL Vê TV" justamente sobre as razões que o levaram a desistir da campanha eleitoral. Ele revelou estar arrependido e manifestou a intenção de disputar a eleição de 2020 como candidato à Prefeitura de São Paulo.

Explicou porque permanece na televisão, apesar dos muitos anúncios de que iria se aposentar. O adiamento ocorreu, diz, por causa da multa que pagou ao sair da Record, após rápida passagem, em 2011 – US$ 10 milhões (ou cerca de R$ 35 milhões).

Na entrevista ele também fala sobre as dificuldades enfrentadas com o novo programa dominical da Band. Reconhece que se superestimou ao achar que poderia comandar uma atração por seis horas só no "gogó", sem o apoio de reportagens. Também comenta sobre a alegria de receber artistas conhecidos e conta detalhes do constrangimento ocorrido no último domingo, quando pediu para Anitta cantar uma música nova (veja no vídeo abaixo).

UOL Vê TV: "Polêmico do jeito que eu sou, não espero crítica, só ódio"

Veja também
José Luiz Datena anuncia candidatura à Prefeitura de SP em 2020


Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.