Blog do Mauricio Stycer

Duas ou três coisas que você talvez não saiba sobre a série "Seinfeld"

Mauricio Stycer

14/05/2018 13h32

Há 20 anos, em 14 de maio de 1998, ia ao ar nos EUA o último episódio de “Seinfeld”. Foi ao ar originalmente na NBC a partir de 1989 e teve 180 episódios ao longo de nove temporadas. É, na minha opinião, a mais engraçada sitcom já feita.

No livro “Top of the Rock”, o executivo Warren Littlefield conta bastidores sobre o nascimento da série. A NBC comprou a ideia de Jerry Seinfeld e Larry David e aprovou a realização de um programa-piloto em 1988. Exibido em sessões fechadas, para diferentes tipos de público, produziu a pior das impressões. O relatório com o saldo destas sessões termina com as seguintes palavras: “Desempenho do piloto: FRACO”.

“Televisão não é ciência, e o público não reage bem a coisas novas ou diferentes”, diz Littlefield no livro. Engavetado por um ano, o projeto mereceu uma nova chance em 1989, quando a NBC encomendou quatro episódios a Seinfeld e David. Várias sugestões de mudanças foram feitas, mas a dupla não as acatou. “Ainda bem que eles não me ouviram”, diz Perry Simon, então um dos executivos da emissora.

No livro “Seinfeldia”, a jornalista Jennifer Keishin lembra que Seinfeld e David não tinham qualquer experiência em TV, o que os ajudou a subverter o formato das “comédias de situação”. Estabelecerem como premissa que nenhum episódio terminaria com abraços entre participantes ou lições para o público (“no hugging, no learning”).

No Brasil, “Seinfeld” foi exibido pelo canal pago Sony. Atualmente, está fora da programação. A série está disponível em DVD e no serviço de streaming Prime Video, da Amazon.

Segundo o site Vulture, até 2014, a venda da série para reexibição já havia rendido US$ 3 bilhões aos donos dos direitos. Seinfeld ganhou US$ 100 mil por episódio nas primeiras temporadas. Nas duas últimas, recebeu US$ 1 milhão por episódio. A NBC ofereceu US$ 5 milhões por episódio para uma décima temporada, mas ele recusou.

Veja também
É possível escolher os cinco melhores episódios de “Seinfeld”?
Roteiristas elegem “Sopranos” e “Seinfeld” como as séries mais bem escritas
Como “Seinfeld” mudou a história das séries e fez você ficar louco por elas
Criador de Seinfeld revela bastidores do ousado episódio sobre masturbação


Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo