PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Caso Marielle levanta discussão sobre pauta e equipe do Encontro com Fátima

Mauricio Stycer

15/03/2018 13h32


A morte da vereadora Marielle Franco (Psol-RJ), assassinada na noite de quarta-feira (14) no Rio, ocupou o "Encontro com Fátima Bernardes" na manhã desta quinta (15). A escritora Ana Paula Lisboa, que esteve com Marielle no evento ocorrido pouco antes da morte da vereadora, foi uma das convidadas. O seu primeiro comentário, porém, não foi sobre o crime, mas sobre a própria pauta do programa da Globo e a formação de sua equipe.

"Obrigada pelo convite e por trazer essa pauta logo de manhã pra televisão. É muito difícil pra mim estar aqui. Já há um tempo que eu falo que não queria falar mais sobre dor. É péssimo estar aqui no seu programa falando sobre isso porque eu poderia falar sobre muitas outras coisas. Mas, na verdade, eu só vim porque a produtora que me ligou hoje cedo… Eu estava pronta para dizer um 'não'. E ela falou pra mim: 'Ana, eu sou a única mulher negra na produção. E a gente precisa falar sobre isso'."

Fátima respondeu sobre a pauta: "E a gente sempre procura falar sobre isso no programa, das mais variadas formas. Para nós, também é muito melhor quando a gente não fala sobre dor e fala sobre lutas e sobre conquistas. Mas tem hora que não tem como." Ana Paula a interrompeu e completou:

"Eu tive que vir porque o trabalho da Marielle era exatamente este: trazer as pautas das mulheres, das mulheres negras, das mulheres faveladas. Trazer os corpos, na verdade, destas mulheres para ocupar outros espaços e para falar sobre outras coisas. E era isso que a gente estava fazendo ontem. Foi muito bonito porque a gente falou sobre ancestralidade, força, sobre poder se reunir para falar sobre a dor, que é o que a gente faz desde que o mundo é mundo, mas também falar sobre as nossas conquistas. Então, o tema da conversa era 'jovens negras movendo as estruturas'. E a gente falou sobre como a gente estava conseguindo vitórias importantes."

Foi a primeira vez que Ana Paula Lisboa esteve no "Encontro". Marielle Franco nunca havia participado do programa.

Veja também
Principal linha de investigação aponta para "execução" de vereadora no Rio

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.