PUBLICIDADE
Topo

Com Temer, Silvio Santos vira garoto-propaganda da reforma da Previdência

Mauricio Stycer

28/01/2018 22h16


O SBT havia anunciado que Michel Temer seria "sabatinado" neste domingo (28) por Silvio Santos sobre a proposta de reforma da Previdência. Não foi bem isso que ocorreu durante os 15 minutos em que o presidente da República ficou no palco do SBT ao lado do dono da emissora.

Na verdade, Silvio Santos tomou a iniciativa de explicar o projeto e defendê-lo, recorrendo aos argumentos mais alarmistas – o de que em alguns anos não haverá mais dinheiro para pagar os aposentados. Temer mais ouviu do que falou. Ao final, brincando, premiou Silvio com uma nota de R$ 50 pela qualidade da performance do apresentador.

"Eu vou fazer uma coisa que você faz com as suas colegas de trabalho. Eu vou passar um dinheiro pra você", disse Temer. "Ganhei R$ 50? Ganhei R$ 50! Ganhei R$ 50! hahaha", respondeu Silvio.

O SBT justificou a presença do presidente lembrando que não é a primeira vez que Silvio Santos recebe "líderes públicos para explicar ao povo brasileiro projetos e ações que são considerados importantes para a vida da população". Os dois exemplos citados foram a participação de Zélia Cardoso de Mello, então ministra da Fazenda no governo Collor, em 1990, e de Fernando Henrique Cardoso, então ministra da Fazenda no governo Itamar, em 1994.

Zélia foi ao SBT explicar o confisco da poupança, uma das primeiras e mais traumáticas medidas do governo Collor. Já FHC foi falar sobre a criação da URV, uma unidade de referência utilizada na transição do cruzeiro real para o real. Nas duas situações, os ministros buscaram dar satisfações sobre medidas que já haviam sido tomadas pelos governos.

Desta vez, diferentemente, Temer foi ao programa como parte de uma campanha de convencimento de um projeto ainda não aprovado, que divide tanto a população quanto os deputados que precisam analisá-lo. Silvio, ao defender a proposta, colocou-se como garoto-propaganda do governo.

Veja também
"Sem reforma da Previdência, não haverá como pagar aposentadoria", diz Temer a Silvio Santos

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.