Blog do Mauricio Stycer

Record elege telejornal local como “bode expiatório” de erro feito na grade

Mauricio Stycer

27/01/2018 13h56


Durou apenas seis meses uma mudança importante que a Record fez em sua programação. Em 25 de julho de 2017, a emissora cortou drasticamente a duração do “Cidade Alerta” (de três horas para 90 minutos), inaugurou uma nova faixa de novelas (com a reprise de “Os Dez Mandamentos”) e estreou um telejornal local (“SP Record”) apresentado por Carla Cecato (imagem acima).

O esvaziamento do jornal policial, uma atração com bons números de audiência, mas baixo faturamento comercial, parecia sinalizar um esforço da Record em qualificar mais a sua programação.

Os números do Ibope deixaram claro, de imediato, o impacto causado pela mudança. A emissora perdeu bastante com a redução do “Cidade Alerta” – mas isso era esperado.

Nesta segunda-feira (29), a grade da Record volta a ter a estrutura anterior à mudança. O “SP Record” foi extinto, a nova faixa de novelas também e o “Cidade Alerta” volta a ter três horas de duração. Com o fim de “Belaventura”, a reprise de “Os Dez Mandamentos” passa a ocupar um horário mais nobre – estava indo ao ar às 18h15, agora vai às 19h45.

O que toda esta mudança sinaliza? Na minha opinião, a emissora não entendeu que a reprise da novela bíblica pode ter sido o maior erro da grade lançada no final de julho de 2017. “Os Dez Mandamentos” voltou ao ar apenas um ano depois de ter sido exibida – um intervalo de tempo muito pequeno para uma experiência destas.

Ao optar pelo fim do “SP Record” e adiar a produção da novela que substituiria “Belaventura”, colocando a reprise da novela bíblica em horário nobre, a Record parece estar considerando o telejornal local como o “bode expiatório” do fracasso desta experiência com uma grade nova. É uma pena que pense assim.

Em 25 de julho de 2017, a Record estreou esta grade

16h45 – Cidade Alerta
18h15 – Os Dez Mandamentos
19h15 – SP Record
19h45 – Belaventura
20h45 – Apocalipse

Em 29 de janeiro de 2018, ficará assim

16h45 – Cidade Alerta
19h45 – Os Dez Mandamentos
20h45 – Apocalipse

Veja também

Básico e sem a intenção de inovar, “SP Record” busca ser útil ao espectador
Carla Cecato se despede de telejornal na Record sem avisar que é o último

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo