PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Leo Dias critica “Fofocalizando” no ar e recebe apoio do diretor da atração

Mauricio Stycer

22/01/2018 21h18

A exibição de uma reportagem com MC Diguinho, acusado de fazer apologia ao estupro no funk "Só Surubinha de Leve", provocou um momento incomum no programa "Fofocalizando", exibido pelo SBT nesta segunda-feira (22). Um dos apresentadores da atração, o jornalista Leo Dias, criticou no ar, ao vivo, a decisão do diretor do programa de exibir a entrevista com o músico.

"Acho um absurdo a gente exibir este tipo de matéria aqui", reclamou Leo Dias. "Acho um absurdo a gente dar voz a este tipo de pessoa. Acho um absurdo a gente dar voz e citar este tipo de música. Sou contra qualquer tipo de censura, mas músicas que fazem apologia ao estupro têm que ser censuradas. Músicas que fazem apologia a racismo, homofobia, a todo tipo de crime, têm que ser censuradas, sim."

Procurado pelo blog, o diretor do "Fofocalizando", Marcio Esquilo, defendeu a exibição da reportagem e, igualmente, apoiou o protesto de Leo Dias. "Era importante a matéria para mostrar o lado do músico, a cabeça dele, dar voz a ele", disse o diretor. "E gostei da crítica do Leo. Mostra como o programa é isento".

Esquilo diz que não reprime a opinião de nenhum dos participantes do "Fofocalizando", mas entende que tem o dever, jornalístico, de mostrar a posição de personagens polêmicos do noticiário de celebridades. "Não vou exibir o vídeo de um estuprador", diz. "Mas vamos ouvir sempre o famoso acusado de agredir a mulher. Foi o que fizemos quando o Naldo agrediu a mulher dele", defende.

Veja também
MC Diguinho recua, nega machismo e se retrata por letra de música

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.