Blog do Mauricio Stycer

Com todo respeito a Juliana Paes, melhor atriz de 2017 foi Leticia Colin

Mauricio Stycer

11/12/2017 19h41


O prêmio se chama “Melhores do Ano”, mas o correto seria chamar “Melhores da Globo”, já que a seleção inicial dos candidatos é feita por funcionários da emissora e não inclui candidatos de outros canais.

Apresentado anualmente no “Domingão do Faustão”, o prêmio mobiliza fã-clubes na fase final de votação, gera muita repercussão e, aparentemente, é levado a sério por muita gente – quando, na verdade, não passa de uma “festa da firma”.

A escolha na categoria de “melhor atriz de novela” foi a que provocou maior barulho. O burburinho indicava que a favorita era Juliana Paes, por seu trabalho como Bibi em “A Força do Querer”, de Glória Perez. Mas quem venceu foi Paolla Oliveira, a major Jeiza da mesma novela.

Em mensagem publicada nas redes sociais nesta segunda-feira (11), Juliana deu a entender que a derrota foi uma decepção. Muito sincera, ela confessou: “Saí de casa com aquele clima ‘vai que é tua’ e quando o prêmio não veio, doeu mesmo!!! Ficou aquele buraco no peito… Aquela pergunta: ‘O que houve?’. Meu filho mais velho, o Pedro, ficou acordado para assistir e quando imaginei a decepção dele, aí chorei de verdade!!!!”

Com todo respeito a Juliana Paes, que admiro, gostaria de dar um pitaco bem pessoal neste assunto. A atriz de novela que mais me impressionou em 2017 foi Letícia Colin, como Leopoldina, a protagonista de “Novo Mundo”, de Thereza Falcão e Alessandro Marson.

A atriz criou um tipo luminoso, com inúmeras gradações ao longo de quase seis meses. Com sutileza, foi expressando a transformação da personagem a cada etapa de sua trajetória, entre 1817 e 1822.

Leopoldina chega ao Rio em 1817 para ser a mulher de d. Pedro (Caio Castro) sem jamais ter visto o seu príncipe. Ela se apaixona pelo marido, mas aos poucos, ao descobrir que ele tem uma amante, entra em depressão profunda, mas conserva o espírito público e tem papel determinante na Independência, em 1822.

Letícia dominou de tal forma a cena na novela que os autores pouparam os espectadores de assistirem aos seus dias finais, que são muito tristes. A Leopoldina da novela ganhou a batalha final contra Domitila de Castro (Agatha Moreira), a futura Marquesa de Santos, num “final feliz” sem paralelo na história real.

Juliana Paes criou uma Bibi muito expressiva, mas tenho a impressão que as incoerências da personagem ao longo da trama tornaram o seu trabalho complicado demais – e ela acabou carregando nos gestos. Qualquer profissional teria dificuldades em lidar com uma personagem tão emotiva, carinhosa, possessiva, burra, egoísta e maldosa ao mesmo tempo.

Das três finalistas, Paolla Oliveira foi a menos exigida, digamos assim. A Super Jeiza era uma personagem reta, de convicções claras, que sabia distinguir o certo do errado e não hesitava em matéria alguma – nem no trabalho nem na vida pessoal. Acho que foi um dos melhores papéis da atriz, mas menos impressionante, na minha opinião, que o trabalho de Letícia Colin e de Juliana Paes.

Veja também
Juliana Paes admite tristeza por perder prêmio: “Doeu mesmo. Chorei”
Como Letícia Colin e sua Leopoldina roubaram a cena em “Novo Mundo”

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo