Blog do Mauricio Stycer

Em “Lazinho com Você”, Lázaro Ramos busca mostrar quem ele representa

Mauricio Stycer

10/12/2017 16h55


A estreia de “Lazinho com Você” neste domingo (10) confirmou o que foi prometido: um programa colaborativo, nascido em um site e guiado pela proposta de uma “agenda positiva”. Gravado quase inteiramente nas ruas, sob a batuta de Lázaro Ramos, contou histórias, exibiu muita gente filosofando sobre a vida e reproduziu uma dezena de vídeos de dança feitos por anônimos. Até grafismos caseiros foram ao ar.

O cuidado de dar crédito a cada um dos colaboradores buscou reforçar a mensagem de que Lázaro Ramos não está fazendo demagogia quando diz: “Cheguei, não. Chegamos. Porque esse programa não é meu, é nosso. Nós vamos fazer tudo juntos.” Será?

Parece honesta e simpática esta ambição, mas não creio que seja o mais importante. Outros programas, em TVs educativas e na própria Globo, já se aventuraram por estes caminhos visíveis no primeiro episódio de “Lazinho com Você”.

Ao explicar a ideia do quadro “Me representa”, Lázaro Ramos contou que está sempre ouvindo de fãs que se tornou um símbolo. “Você me representa”, é a frase que escuta. Daí veio a proposta de brincar e se colocar no lugar do outro, buscando ajudá-lo.

Na estreia, o ator se colocou na posição de uma mulher que está vivendo uma crise conjugal. Com informações passadas por ela e fantasiado de mulher, encontrou-se com o marido e “discutiu a relação” com ele.

Esta é a brincadeira, mas Lázaro Ramos, de fato, representa muita gente hoje em dia – e o programa parece confiar nesta hipótese. No livro “Na Minha Pele”, lançado este ano, ele observa que tem a responsabilidade de discutir “os desafios de ascender socialmente e se inserir em outra realidade sendo uma exceção”.

Com a mulher, Taís Araújo, Lázaro Ramos representa uma voz contestadora, orgulhosa de suas origens, com a ambição de promover a inclusão e, como lembra no livro, de “não estimular a separação”.

É isso que tenta, de certa forma, fazer no bem-humorado “Mister Brau” e que, acho, busca também em “Lazinho com Você”: bom entretenimento com uma pitada de reflexão.

Um dos desafios do novo programa, que terá uma primeira temporada de apenas cinco episódios, é escapar do sentimentalismo (o quadro com o criador de uma escolinha de futebol para crianças sem opção de lazer na periferia esbarrou nisso). Outro risco, na sua busca por uma agenda positiva, é ficar com cara de ONG e esquecer que espectador pode estar buscando algo mais divertido e menos “poliana” na TV aberta neste horário.

Lázaro Ramos e sua equipe parecem atentos a este risco. Depois de ouvir várias pessoas passando mensagens positivas e solidárias, o apresentador perguntou: “Até que ponto é para a câmera, até que ponto é verdade?” É por aí…

Veja também
Lázaro Ramos quer oferecer “alternativa civilizatória” aos domingos na TV
Em livro, Lázaro Ramos combate a ideia de que não há racismo no Brasil

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está fechada

Não é possivel enviar comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo