Blog do Mauricio Stycer

Praça É Nossa se arrisca na política, mas evita o poder e ri de militantes

Mauricio Stycer

08/12/2017 17h00


Com algum atraso, “A Praça É Nossa” estreou nesta quinta-feira (07) um novo quadro inspirado no clima de confusão política do país. Mas, diferentemente do “Zorra”, da Globo, que tem mirado em quem está no poder, o programa do SBT escolheu como alvo os militantes políticos.

Jairo (Tuca Graça) e Rosário (Bibi Graça) representam dois extremos. Ele é chamado por ela de “coxinha” e ela ganha a alcunha de “comunista”. Como é comum na “Praça”, as representações são bem caricatas – e a claque ao fundo ri de todas as piadas.

Na estreia, os dois entraram em conflito por conta de um assunto já antigo, a discussão sobre limites da arte causada por uma performance de um homem nu no MAM-SP.

“Quem está acabando com esse país são pessoas retrógradas como ele aqui. Pensa pra trás. Vai acabar levando todo mundo pra Idade Média”, diz Rosário, em resposta às acusações de Jairo que “pessoas como ela estão acabando com a nossa moral, com os nossos bons costumes, com depravações e subversões”.

Carlos Alberto de Nóbrega tenta conciliar os extremos e diz: “Eu sou de paz e amor”. O que leva o “coxinha” a gritar: “Ah, paz e amor… Velho maconheiro! Seu subversivo! Vai pra Cuba!”. Ao que a “comunista” o defende: “ Deixa o velho puxar o fuminho dele”.

“Por que vocês estão discutindo?”, questiona o dono da Praça. “Porque esse fascista aqui é contra as artes”, responde Rosário. “Arte? Desde quando safadeza é arte? Se fosse assim, os políticos brasileiros seriam grandes artistas, que de safadeza eles entendem”, diz Jairo.”E aonde que um corpo nu é safadeza? Isso aqui é obra natural, é obra divina”, responde ela, ameaçando ficar nua, mas sendo impedida por Carlos Alberto.

“Fascista”, acusa Rosário, por se considerar censurada. “Eu sou a favor das artes. Sou artista”, responde Carlos Alberto. “Aposta que ganha dinheiro com a Lei Rouanet! Velho vagabundo, sustentado pela Lei Rouanet”, grita Jairo.

Ao final, o comandante do programa tenta conciliá-los mais uma vez. “Gente, cada um tem as suas maneiras de pensar. Todos vocês, da esquerda e da direita, têm coisas boas e coisas ruins…”. Sem sucesso. O comentário provoca revolta em ambos. “Direita e esquerda… E o povo? Leva no centro!”, conclui Carlos Alberto.

Veja também
No episódio 100, em Brasília, “Zorra” ri de Temer, dos paneleiros e de Lula
“Zorra” volta com ótima reflexão sobre o papel do humor em tempos de crise
Ampliando os seus alvos, “Zorra” ri de João Doria, o “prefeito disfarçado

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo