Blog do Mauricio Stycer

Globo, Record e SBT criam confusão com números “milionários” de alcance

Mauricio Stycer

05/12/2017 15h55


Primeiro foi a Globo, que no final de outubro lançou uma campanha afirmando falar com “100 milhões de uns”. Duas semanas depois, em novembro, a Record disse se comunicar com “50 milhões de outros”. Agora, neste início de dezembro, Eliana, do SBT, diz que “67 milhões de corações” estão se emocionando com ela.

O que estes números querem dizer? Muitos espectadores, com razão, estão confusos, já que as emissoras dão poucas informações sobre o que significam as cifras. Vou tentar explicar.

Todos estes números são extraídos de relatórios do Ibope. A Globo informou que de janeiro a setembro deste ano teve um alcance médio diário de 98 milhões de pessoas. Já a Record se refere ao seu alcance médio diário entre 1º e 26 de outubro deste ano. O SBT, por sua vez, informa que está falando do seu alcance médio diário de 1º a 30 de outubro.

O Ibope mede a audiência em 15 grandes centros urbanos. Entre os números que o instituto oferece aos seus clientes, estão as médias e os picos alcançados por cada programa, assim como a média diária de cada emissora. Outro dado, menos citado, é justamente este que está sendo usado nas três campanhas, o “alcance”. Ele expressa o número de espectadores que assistiu ao canal ao menos um minuto nas 24 horas do dia.

Os três números na casa dos milhões, divulgados por Globo, Record e SBT, não podem ser somados. Um mesmo espectador pode ter assistido algo nas três emissoras num mesmo dia.

Questionado pelo blog sobre o uso que estão fazendo de seus dados, o Ibope diz que não divulga dados de emissoras individualmente.

Veja também
Globo inclui público do digital para chegar a “100 milhões de uns” por dia
Record pega carona na Globo e diz falar com “50 milhões de outros”

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo