Blog do Mauricio Stycer

Em semana de protestos ao vivo, sobrou de novo para as TVs Brasil e Globo

Mauricio Stycer

25/11/2017 16h21


Quem sabe faz ao vivo, ensinou Faustão. E, de fato, não há nada mais difícil e arriscado do que aparecer ao vivo na televisão. Não dá para refazer o que saiu errado nem ignorar o imprevisto e o acidente. É preciso jogo de cintura, capacidade de improvisação e bom senso.

Em tempos turbulentos, de muita polarização política e bate-boca nas redes sociais, os riscos de quem faz TV ao vivo aumentaram muito. E duas emissoras, em particular, têm sofrido as consequências deste clima mais pesado: as TVs Brasil e Globo.

A primeira, uma emissora pública, vinculada à EBC (Empresa Brasil de Comunicação), tem sido alvo, desde o ano passado, de protestos contra o governo. Gritos de “fora Temer” já apareceram em diferentes transmissões e até durante uma partida de futebol a emissora deixou escapar um protesto.

Nesta quinta-feira (23), o ator Pedro Cardoso foi além e fez um protesto contra o próprio presidente da EBC, Laerte Rímoli, enquanto participava do “Sem Censura”. Por quase dois minutos, o ator fez duras críticas a Rímoli e ao governo, sem ser interrompido. Educadamente, a apresentadora Katy Navarro esperou que ele terminasse e disse que respeitava a sua opinião.

Já a Globo, por ser líder de mercado, atrai descontentamentos maiores que as suas concorrentes. E os motivos dos protestos são variados – desde críticas à cobertura política até a forma como se posiciona contra a intolerância em matéria sexual, por exemplo.

No “Jornal Hoje” desde sábado (25), mais uma vez, uma pessoa interferiu em uma entrada ao vivo de um repórter. Bruno Tavares falava sobre o estado de saúde do presidente Michel Temer, internado no Hospital Sírio Libanês, quando foi interrompido por um homem aos gritos de “Globo lixo!”.

O âncora Fábio William tentou contornar o inconveniente, mas não se expressou muito bem: “Tivemos um problema. Você vê que nem todo mundo é capaz de compreender como as coisas devem ser e que existem outras maneiras de mostrar a própria opinião”.

Do jeito que estão as coisas, prevejo que este tipo de situação deve ocorrer com ainda maior frequência em 2018, ano de eleições no país.

Veja também

Pedro Cardoso desabafa contra presidente da EBC e abandona programa ao vivo
Novo “fora Temer” ao vivo leva TV Brasil a checar perfil de entrevistados

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo