Blog do Mauricio Stycer

Após Emmy a novela turca, Band anuncia estreia de Amor Proibido em dezembro

Mauricio Stycer

22/11/2017 20h04


Sem exibir novelas desde setembro, quando estreou o reality “Exathlon”, a Band prevê retomar o seu investimento em dramaturgia a partir de 18 de dezembro, com a exibição do primeiro capítulo de “Amor Proibido”. Será a quinta novela turca que a emissora colocará no ar desde 2015.

Depois de registrar bons números de audiência com “Mil e uma Noites” (2015) e “Fatmagul” (2015-16), a emissora não foi tão feliz com “Sila” (2016) e “Ezel” (2016-17). A estreia de “Amor Proibido” chegou a ser anunciada como a substituta desta última, mas a Band mudou de ideia e preferiu colocar no ar uma reprise condensada de “Mil e uma Noites”.

Nos últimos anos, a teledramaturgia turca passou a ser vista, em mercados internacionais, como uma boa concorrente da produção seriada latino-americana. O impulso que faltava foi dado esta semana, com a vitória no Emmy Internacional, em Nova York, da produção “Kara Sevda” (ainda sem título em português), superando as brasileiras “Velho Chico” e “Totalmente Demais”.

“Esta produção que ganhou o Emmy é muito boa”, diz Diego Guebel, diretor da Band, responsável por introduzir a teledramaturgia da Turquia no Brasil. “São novelas mais clássicas. Dramalhões modernizados”, observa. “Elas estão ocupando um pedaço do mercado que sempre foi dos latino-americanos e brasileiros”.

Todas estas novelas, na verdade são séries, exibidas ao longo de várias temporadas. “Mil e uma Noites”, por exemplo, foi exibida originalmente ao longo de três anos, entre 2006 e 2009.

Outras novelas turcas virão depois de “Amor Proibido”, garante Guebel, sem dizer os títulos que têm vista. Oficialmente, a emissora informou ao blog que não está negociando os direitos da novela vencedora do Emmy. Mas não teme a concorrência no Brasil. “Ninguém vai seguir a gente”, acredita o diretor da Band.

A aposta da Band obedece a um misto de visão com oportunidade – é muito mais barato adaptar uma produção estrangeira pronta do que realizar uma novela original.

A opção de interromper a apresentação de novelas para exibir o reality “Exathlon” na mesma faixa horária compensou em matéria de audiência. A emissora tem registrado médias em torno de 3 pontos.


Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo