Blog do Mauricio Stycer

Por que a Netflix não divulga os números de audiência de suas séries?

Mauricio Stycer

06/11/2017 11h19


Lançada pela Netflix em 27 de outubro, a segunda temporada de “Stranger Things” tem registrado números de audiência excepcionais. O primeiro episódio foi visto por 15,8 milhões pessoas nos primeiros três dias, nos Estados Unidos. Somente no primeiro dia, 361 mil pessoas assistiram aos nove episódios em sequência (“binge-watching”).

Para se ter uma ideia do que estes números significam, o primeiro episódio da sétima temporada de “Game of Thrones”, exibido este ano, foi visto por 16,1 milhões no primeiro dia. O primeiro jogo da final da MLB, a liga de beisebol americano, atraiu 15,4 milhões de espectadores ao vivo.

Apesar deste excelente resultado de “Stranger Things”, a Netflix não reconhece os números divulgados. Eles foram medidos pelo Nielsen, o respeitado instituto que pesquisa a audiência de televisão nos EUA há décadas.

Desde que começou a produzir conteúdo original, e a despertar curiosidade do mercado, em 2013, a Netflix adotou como política não divulgar números de audiência. Como não depende de publicidade (é mantida, exclusivamente, pelos assinantes), a empresa entende que a popularidade de seus produtos é uma questão interna e que não deve satisfações a ninguém.

O Nielsen, porém, começou a medir a audiência das séries do serviço de streaming a revelia. Segundo o “New York Times”, o instituto desenvolveu um software capaz de identificar, pelo áudio, o que os espectadores dos 44 mil domicílios que formam a sua amostra estão assistindo.

Foi com base nesta tecnologia que a empresa divulgou os primeiros números, excelentes, de audiência de “Stranger Things”. A Netflix contesta este método –e tem razão, em parte dos seus argumentos.

O primeiro ponto é que a Nielsen está medindo apenas quem vê as séries do serviço de streaming em um aparelho de TV, ignorando os usuários que a conectam por dispositivos móveis, como laptops, tablets e smartphones. Outra questão é que a audiência das séries da Netflix é global e os dados da Nielsen se referem apenas ao mercado americano, que hoje representa menos de 50% dos 104 milhões de assinantes da empresa.

Por fim, como lembra a revista “Fortune”, há mais uma razão para a Netflix não querer divulgar os seus números de audiência – e ela é bem simples: o segredo é uma ferramenta importante da empresa em sua estratégia de negócios e investimentos.

No momento em que os concorrentes conheçam estes números, eles estarão tendo informações sobre os hábitos dos clientes da Netflix e poderão intuir os próximos passos da empresa – e é isso, naturalmente, que ela não quer.

Comentários são sempre muito bem-vindos, mas o autor do blog publica apenas os que dizem respeito aos assuntos tratados nos textos.

Veja também
“Stranger Things”: Que respostas e mistérios a segunda temporada trouxe?
Blog do Matias: A segunda temporada de Stranger Things é melhor que a primeira
Netflix compra uma hora da grade do SBT para promover “Stranger Things”
Netflix anuncia nova série brasileira, o drama de época “Coisa Mais Linda”

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo