Blog do Mauricio Stycer

Em evento de moda, Jim Carrey filosofa sobre a falta de sentido da vida

Mauricio Stycer

12/09/2017 02h04

Uma entrevista de Jim Carrey ao canal E!, gravada na noite de sábado (9), em Nova York, deu um nó na cabeça de todo mundo que a assistiu (veja no vídeo acima).

Convidado de uma festa durante a Semana de Moda, Carrey atendeu a uma repórter no tapete vermelho e, por dois minutos, agiu e falou de forma desconcertante.

Inicialmente, ele ficou dando voltas em torno da entrevistadora. E a primeira coisa que disse foi: “Nada disso aqui faz sentido”. E acrescentou: “Eu procurei a coisa mais sem sentido onde eu poderia ir, e aqui estou.” A repórter tentou dizer algo, e Carrey repetiu: “Você tem que admitir: isso não faz nenhum sentido.”

Patrocinado pela revista Harper´s Bazaar, o evento foi batizado como “Festa dos Ícones”, o que levou o ator a outra consideração surpreendente: “Você acredita em ícones? Eu não acredito. Eu não acredito que você existe!”.

E mais: “Eu acredito que exista um campo de energia dançando por conta própria e eu não me importo.” Ao final da conversa, ele diz: “A gente não importa. A gente não importa. E essa é a boa notícia”.

As reações ao vídeo foram do choque ao deboche. Tenho a impressão de que, por mais que ele pareça confuso, está rindo de tudo aquilo.

“Esse endeusamento de pessoas não é uma coisa saudável”

Em entrevista publicada nesta terça-feira (12) pelo site IndieWire, Carrey explicou sua performance de sábado no tapete vermelho da “Festa dos Ícones”, da Harper´s Bazaar. Ele reconheceu que não foi muito respeitoso com a repórter do canal E!, mas se justificou: “Esse negócio de ícones é um endeusamento estranho de pessoas. Nunca é, realmente, uma coisa saudável”.

“Toda vez que algo assim acontece, eu olho e digo: ‘Ai, meu Deus, eu realmente não fui muito respeitoso com o que eles estavam tentando fazer’. Mas, ao mesmo tempo, as pessoas são atraídas por isso. Porque é besteira, não significa nada. O que é um ícone? É como… são idéias abstratas. Eu penso com carinho sobre alguns personagens meus, mas esse negócio de ícones é um endeusamento estranho de pessoas. Nunca é, realmente, uma coisa saudável”.

Atualizado às 16h.

Veja também
Mal-humorado, Jerry Lewis dá a melhor pior entrevista de todos os tempos

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo