Blog do Mauricio Stycer

No furacão, jornalistas se arriscam em nome da notícia, do show e dos memes

Mauricio Stycer

11/09/2017 13h50


Tão esperados quanto os danos e prejuízos causados por furacões nos Estados Unidos e no Caribe são os espetáculos protagonizados por jornalistas na cobertura destes fenômenos naturais. Já é uma tradição da TV americana – copiada em outras países – expor seus repórteres e especialistas em meteorologia aos rigores da chuva e do vento.

O repórter deve ir onde a notícia está. Esta é a lógica que leva muitos profissionais a se submeterem ao sufoco de fazer transmissões ao vivo do meio do furacão – e não em ambientes fechados e protegidos, como recomendam as autoridades.

É um risco calculado – ainda que as coisas possam sair errado e a reportagem virar um meme na internet, como aconteceu com a calça rasgada de Carolina Cimenti, correspondente da Globo News. Veja abaixo:

No show oferecido pela TV americana, ninguém brilhou mais do que Mike Seidel e Mike Bettes, meteorologistas e repórteres do Weather Channel. Experiente e empolgado, o primeiro fez a alegria dos seus seguidores nas redes sociais com vídeos espetaculares, como este abaixo:

Em mensagem a seus fãs, postada no fim do domingo, Bettes comentou as críticas sobre o excesso de risco que enfrentaram: “Alguns de vocês também expressaram sua preocupação por eu estar exposto desnecessariamente ao furacão. Confiem em mim. Entendi. Minha própria mãe também reclama disso! O Weather Channel NUNCA incentiva seus meteorologistas a se colocar em situação de risco.”

Os profissionais do Weather Channel não foram os únicos a passar por isso. Ao longo de todo o domingo (10) os jornalistas da CNN Chris Cuomo e Sara Sidner, entre outros, apareceram, ao vivo, se expondo aos efeitos do Irma, de maneira a transmitir ao espectador sensações “reais” do furacão. Veja abaixo:

Bom para quem acompanhou e teve informações não apenas em tempo real como as mais reais possíveis no olho do furacão. Mas sempre fica a dúvida se o risco a que os jornalistas se submeteram compensa o sacrifício.

Veja também
Calça de repórter da Globonews que cobre passagem do furacão rasga ao vivo

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo