Blog do Mauricio Stycer

Na estreia do “MasterChef Profissionais”, candidatos cometem erros amadores

Mauricio Stycer

06/09/2017 00h53


Como anunciado, apenas duas semanas depois de concluir o “MasterChef”, nesta terça-feira (05) a Band voltou a estrear uma nova edição do seu reality de culinária, agora dedicado a cozinheiros com experiência profissional.

Com 16 candidatos, dois a mais do que na primeira versão, exibida em outubro de 2016, o novo “MasterChef Profissionais” começou com a promessa de oferecer uma disputa num nível mais alto.

Não foi o que se viu. O público presenciou erros dignos de amadores, difíceis de imaginar em cozinhas ocupadas por quem ganha para fazer isso.

Um cozinheiro colocou açúcar, em vez de sal, num bolinho a base de feijão. Um outro deixou o porco que iria cozinhar cair no chão. Uma terceira mostrou não saber os nomes das peças da carne suína que deveria preparar. E um quarto simplesmente se esqueceu de colocar parte do que cozinhou no prato destinado aos jurados.

A peça de resistência do programa, o trio de jurados, segue firme e forte. Cada um explorando os seus tiques e cacoetes, Paola Carosella, Erick Jacquin e Henrique Fogaça garantem a diversão para quem se aventura nesta maratona da Band – o programa desta terça começou às 22h44 e terminou mais de duas horas depois, à 0h54.

“Aqui é ‘MasterChef’. O barato é louco”, anunciou Fogaça, no seu estilo “mano”. “O bagulho tá zoado de gosto”, explicou, sobre o bolinho feito com açúcar.

“Você fez uma feijoada desidratada”, lamentou Jacquin, decepcionado com o prato de uma candidata. “A gente não come conceito”, emendou Paolla, sempre cortante.

Na primeira prova, os 16 candidatos foram divididos em dois grupos. Um teve que reinventar uma feijoada. O outro, mostrar habilidade com um porco, cozinhando três partes diferentes do animal.

Dois candidatos, Pedro Pecego e Edney Moreira, foram logo eliminados. E quatro foram submetidos a um segundo teste: preparar, sob o comando de Jacquin, dois cardápios para um grupo de 30 pessoas. Nesta segunda prova, quem dançou foi Barbara Cardin.

Esta é a sétima edição do programa desde 2014, considerando as quatro temporadas da competição regular, uma com crianças e as duas dedicadas aos “profissionais”. Confiando na fidelidade do público, a Band segue em frente.

Texto escrito em parceria com Gilvan Marques, do UOL TV e Famosos

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo