Blog do Mauricio Stycer

Silvio sobre Figueiredo: “Se não fosse ele, eu tava vendendo caneta na Sé"

Mauricio Stycer

27/08/2017 21h11

Silvio Santos já manifestou mais de uma vez gratidão a João Batista Figueiredo (1918-1999), último general a presidir o Brasil durante a ditadura militar. Foi no governo dele, em 1981, que o empresário ganhou a concessão de parte dos canais da TV Tupi, incluindo o de São Paulo, o que permitiu a transformação da TVS, do Rio, em SBT.

Neste domingo (27), em meio a uma brincadeira com os nomes de diferentes presidentes do Brasil, Silvio voltou a fazer um elogio a Figueiredo: “Sou muito grato a ele. Se não fosse ele, eu estava vendendo caneta na praça da Sé”.

Exagero, claro. Silvio já era um empresário bem-sucedido, dono de um canal de televisão. Mas mostra que a criação uma rede nacional de TV, viabilizada pela concessão dada por Figueiredo, é compreendida pelo empresário como um momento decisivo em sua trajetória.

Em dezembro de 2016, na abertura da exposição sobre Silvio Santos no MIS (Museu da Imagem e do Som), em São Paulo, chamou a atenção o fato de constar uma homenagem a Dulce Figueiredo (1928-2011), mulher do general-presidente, mas não a ele.

Diante de uma lista, o empresário aprovou 18 nomes, que foram incluídos em uma espécie de calçada da fama colocada ao longo de toda a exposição. Outros foram rejeitados. Revelei no blog que Silvio afirmou aos organizadores da exposição que recebeu ajuda da então primeira-dama para conseguir a concessão.

Balanço do mês

O programa deste domingo deixou Silvio Santos na liderança no Rio por 26 minutos, à frente do filme “Duro de Matar: Um Bom Dia para Morrer”. No geral, o programa registrou média de 12 pontos, contra 21,5 da Globo e 6,7 da Record. Em São Paulo, também foi vice-líder com média de 11 pontos, atrás da Globo (22,6) e à frente da Record (7,6).

Os números de audiência de agosto mostram que Silvio Santos segue firme como a principal atração do SBT. O programa do Patrão foi vice-líder com larga vantagem sobre a principal concorrente. Em São Paulo, registrou média de 10,5 pontos, contra 22,1 da Globo e 8,3 da Record. No Rio, a média foi ainda mais alta, de 12,4 pontos, atrás da Globo, com 21,6, e muito à frente da Record, que marcou 5,7 de média.

Veja também
Bastidores da exposição: Silvio rejeitou nomes de Hebe e de general em museu

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo