PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Na estreia de Dony, nova dupla do “Hoje” mostra harmonia e se beija no ar

Mauricio Stycer

07/08/2017 14h10


Como avaliar um apresentador de telejornal cuja principal função é ler notícias em um teleprompter? Há alguns critérios razoavelmente objetivos, como voz e dicção. Para espectadores com dificuldades de audição, é basicamente isso que importa.

Mas também há outros aspectos envolvidos, bem mais subjetivos, como aparência física e as impressões que o apresentador passa durante a tarefa. Está entendendo o que lê? Faz isso de forma convincente? É simpático? Agradável? Bonito? Tem boa "química" com seu companheiro de bancada?

Nos últimos tempos, surgiu um novo critério para avaliar jornalistas da TV – a relação do profissional com os seus admiradores nas redes sociais. O tamanho dos fãs-clubes e a forma de interação com eles se tornou, igualmente, uma maneira de "medir" o talento de apresentadores.

A estreia de Dony de Nuccio na bancada do "Jornal Hoje", ao lado de Sandra Annenberg, nesta segunda-feira (07), deixou claro o peso destes aspectos mais subjetivos. O novo apresentador até deu um beijo em sua colega na abertura do telejornal. Foi mais um gesto, entre outros, no esforço de mostrar aos fãs que a saída de Evaristo Costa, parceiro de Sandra por mais de 13 anos, não vai afetar em nada o bom andamento do telejornal.

Não à toa, Dony festejou no ar o seu antecessor: "É um grande desafio substituir o Evaristo Costa, tão querido por todos, tão competente na condução do telejornal por tantos anos." Ambos já haviam posado juntos em fotos divulgadas nas redes sociais com o mesmo objetivo – mostrar que ocorreu uma troca pacífica entre dois apresentadores semelhantes.

Além do beijo e do vídeo de boas-vindas, a estreia de Dony mostrou exatamente isto – a mesma simpatia, a troca de olhares com a colega de bancada e competência técnica. Seguro, não cometeu nenhum erro maior – e ninguém o chamou de Evaristo.

Evaristo esteve à frente do "Hoje" entre fevereiro de 2004 e julho de 2017 – sempre ao lado de Sandra Annenberg, que agora divide a bancada com Dony.

Como lembrou o vídeo de boas vindas exibido para saudar a chegada de Dony, o novo apresentador é formado em economia e jornalismo. Entrou na Globo em 2011, onde atuou, a partir de São Paulo, em diferentes telejornais. Em 2012, já na GloboNews, foi editor de economia do "Jornal das Dez". No ano seguinte, assumiu como apresentador do "Conta Corrente" e, em 2015, se tornou o âncora do "Jornal das Dez".

Audiência: Na estreia de Dony de Nuccio, o telejornal "Hoje" registrou em São Paulo 12,2 pontos de média, segundo dados prévios do Ibope. É um pouco menos do que a média das últimas quatro segundas-feiras, de 12,9 pontos. Esse número pode sofrer alteração na manhã de terça-feira (8), quando o Ibope divulgar os dados consolidados.

Veja também
Em estreia no "JH", De Nuccio conquista web: "Tão bonito quanto o Evaristo"

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.