Blog do Mauricio Stycer

Especial lembra que o humor infantil dos Trapalhões não é para adultos

Mauricio Stycer

17/07/2017 21h31


Como ocorreu com a nova “Escolinha do Professor Raimundo”, o novo “Os Trapalhões” chegou à TV com duas missões – agradar aos fãs mais velhos, saudosos de Didi, Dedé, Mussum e Zacarias, e conquistar o coração das crianças, que não conheceram a turma no seu auge.

A estreia nesta segunda-feira (17), no Viva, no horário das 20h30, focou principalmente o público que guarda Os Trapalhões na memória. Já a exibição dos nove episódios na Globo, a partir de setembro, na faixa das 13h, deverá buscar o novo público.

O desafio não é pequeno, como foi possível ver nesta estreia. Os Trapalhões sempre fizeram um humor para crianças. Politicamente incorreto, no passado, ou correto, hoje, o quarteto sempre fez rir com o exagero, a piada infame, a graça física, eventualmente brutal. Sem o que é potencialmente ofensivo, ficou ainda mais infantil.

Diferentemente da “Escolinha”, não é um programa divertido para adultos. É curioso, apenas. Pensando em “homenagem”, pode agradar por alguns minutos, mas é difícil o velho espectador achar muita graça neste tipo de humor.

As caracterizações de Mumuzinho (como Mussum) e Gui Santana (Zacarias) me pareceram muito boas. Bruno Gissoni não funcionou muito bem como o personagem de Dedé Santana, talvez o mais difícil de imitar pelo fato de ser o menos caricatural. Já Lucas Veloso mostrou talento ao reproduzir os trejeitos e a voz do eterno Didi de Renato Aragão, mas a presença do próprio humorista em cena, inclusive dividindo alguns esquetes, teve um efeito inibidor.

Acho que o teste do especial junto a um público mais jovem, na Globo, aos domingos, será decisivo para verificar se faz sentido esta ideia de reviver Os Trapalhões.

Veja também
Mumuzinho sobre papel em Os Trapalhões: “Sinto um pouco da alma de Mussum”
Revival de “Os Trapalhões” estreia com Leticia Lima como Mulher Silicone
Na estreia, “Trapalhões” ficam presos no elevador e aparecem de lingeries

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo