Blog do Mauricio Stycer

Gostou do filme “Sob Pressão”? A série é melhor

Mauricio Stycer

11/07/2017 17h22


A Globo exibiu nesta segunda-feira (10) o filme “Sob Pressão”, de Andrucha Waddington, lançado em 2016. A audiência da Tela Quente foi dentro da média, em São Paulo – 20,6 pontos. No Twitter, observei que a história causou boa impressão.

A exibição faz parte da estratégia de lançamento da série “Sob Pressão”, que irá ao ar às terças-feiras, depois de “A Força do Querer”, a partir do próximo dia 25.

A série, cujo primeiro episódio eu já assisti, tem algumas diferenças importantes em relação ao filme. Trata-se de uma coprodução entre a Globo e a Conspiração.

Ambos são inspirados na mesma fonte, o livo “Sob Pressão – A Rotina de Guerra de um Médico Brasileiro”, do médico Márcio Maranhão, que também atua como consultor.

O diretor é o mesmo Andrucha, mas os roteiristas do filme, todos da Conspiração, foram substituídos na série por uma equipe da Globo, comandados por Jorge Furtado.

Uma diferença fundamental é quanto ao ambiente do hospital, onde as histórias se passam. No filme, o hospital está quase sempre vazio e não transparece o clima de emergência que a história quer contar. Na série, ao contrário, o hospital vive lotado e parece ligado em 220 volts o tempo todo.

Os dois protagonistas da história, os médicos Evandro e Carolina, são vividos pelos mesmos atores, Julio Andrade e Marjorie Estiano. Mas na série, diferentemente do que ocorre no filme, o espectador vai conhecer histórias da vida privada de ambos, que se cruzam.

Outros atores com papéis importantes no filme, como Ícaro Silva, que faz um cirurgião, e Andrea Beltrão, administradora do hospital, não estão na série. O diretor da instituição, vivido por Stepan Nercessian, se mantém.

Além do ritmo mais intenso e de prometer desenvolver melhor as histórias, a série também acrescenta humor ao drama médico, o que falta ao filme, oferecendo algum alívio em meio a cenas muito fortes.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo