Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Xuxa reclama ao vivo durante “Dancing Brasil”: “Deixa eu falar, diretor!”

Mauricio Stycer

17/04/2017 23h36

Um breve incidente chamou a atenção de quem assistia ao terceiro episódio de “Dancing Brasil'' na noite desta segunda-feira (17), na Record. Empolgada com uma apresentação recém-concluída da atriz Maytê Piragibe, Xuxa exclamou: “Nossa senhora!” O espectador não soube o que foi dito em seu ponto eletrônico, mas a apresentadora reagiu rapidamente, com um desabafo em tom infantil: “Deixa eu falar, diretor! Pelo amor de Deus! Tá bom demais”. O diretor do programa é Rodrigo Carelli, responsável também pelos realities “A Fazenda'' e “Power Couple''.

O programa teve como tema números de filmes musicais famosos. A própria Xuxa dançou na abertura uma versão de “Dancing Queen”, do Abba, que ganhou fama no filme “Mamma Mia!” (veja abaixo).

Bastante animada e feliz, Xuxa não se conteve em vários outros momentos. “A Broadway é aqui na Record”, gritou, antes de puxar um coro de “gostosa” para a jornalista Fabiola Gadelha, que dançou uma música do filme “Hairspray”.

A atriz Juliana Silveira explicou o acidente que a impediu de participar do programa – uma torção, ocorrida uma semana antes, causou uma pequena fratura em dois ossos e um estiramento muscular. Sergio Marone informou que, de acordo com o regulamento do formato, nenhum participante pode ficar afastado mais de uma semana. Assim, se Juliana não puder voltar semana que vem, será eliminada.

O candidato eliminado da noite foi o sertanejo Guilherme.

Veja também
5 razões para assistir a “Dancing Brasil'', nova aposta da Record para Xuxa
Xuxa quase se esquece que é Xuxa em estreia de “Dancing Brasil”
Britto Jr. diz que foi “censurado e boicotado” pelo diretor da “Fazenda”

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.