PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Repórter é agredida durante entrada ao vivo em cobertura de rebelião

Mauricio Stycer

17/01/2017 00h27

A repórter Larissa Carvalho foi vítima de uma agressão enquanto falava, ao vivo, sobre uma rebelião em um presídio em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte (MG). A agressora a derrubou e, em seguida, foi detida por um policial. A cena foi exibida no "Jornal GloboNews – Edição da Meia-noite" por volta de 0h10 desta terça-feira (17).

A reportagem foi interrompida e a imagem voltou para o estúdio, onde estava o apresentador Bernardo Menezes. Pelo relato que a jornalista fazia no momento em que foi empurrada, supõe-se que foi uma parente de preso que a atacou.

Alguns minutos depois Larissa retornou, protegida por policiais, para informar que estava bem: "Tá tudo bem. Foi um susto, mas tá tudo bem, sim". A agressão, segundo o seu relato, ocorreu depois que alguns parentes de presos não concordaram com uma informação que ela havia dado — de que, conforme a PM, não há feridos dentro do presídio.

Ainda segundo Larissa, a presença de uma ambulância se explicaria pelo excesso de fumaça dentro do local, o que pode ter causado intoxicação em algum preso. A jornalista informou também que o número de presos em Ribeirão das Neves é o dobro da capacidade da prisão.

Veja abaixo, a segunda entrada de Larissa, alguns minutos depois da agressão:

Uma hora depois, em nova edição do "Jornal da GloboNews", o noticiário sobre a rebelião em Ribeirão das Neves foi exibido sem entradas ao vivo de Larissa. A emissora não fez nenhuma referência ao caso neste telejornal.

Também já de madrugada, a jornalista apareceu no "Jornal da Globo" falando da rebelião. Foi uma reportagem gravada, não ficou claro se antes ou depois do incidente exibido ao vivo pela GloboNews. Em todo caso, William Waack, que apresenta o telejornal da Globo ao vivo, não fez menção nenhuma à agressão sofrida por Larissa.

A agressão a Larissa foi tema do "Hora 1", da Globo, exibido a partir das 5h. A apresentadora Izabella Camargo mostrou as cenas do ataque à jornalista e informou: "Ela sofreu apenas escoriações no braço e registrou Boletim de Ocorrência. A mulher foi presa." Essas mesmas informações foram repetidas, logo depois, por Ana Paula Araujo no "Bom Dia Brasil".

Atualizado às 10h

Veja também
Associação de emissoras de TV repudia agressão a repórter da Globo

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.