Blog do Mauricio Stycer

Enquanto todas as novelas caem, Ibope de “Terra Prometida” cresce no Natal

Mauricio Stycer

27/12/2016 05h01

terraprometidahebreusderrotados

Entre as várias tradições de Natal e Ano Novo, uma que desagrada bastante às emissoras de televisão é ver que muitos espectadores costumam desligar o aparelho nesta época do ano. Com o número de ligados mais baixo, este é normalmente um período de baixas audiências, em todos os canais, em todos os horários.

A semana que antecedeu o Natal de 2016 confirmou esta regra. Recordes negativos e números decepcionantes foram registrados em todas as emissoras, em São Paulo.

No caso das principais novelas da Globo, SBT e Record um fato muito curioso ocorreu. “A Lei do Amor” marcou a pior média semanal desde a estreia, no início de outubro – 22,96 pontos. “Carinha de Anjo”, igualmente, registrou a sua pior média semanal desde que foi ao ar, em meados de novembro – 10,26 pontos. Já “A Terra Prometida” cresceu. A média desta última semana, 14,32 pontos, é a melhor alcançada pela novela desde a semana de 14 a 18 de novembro, quando registrou 14,52.

O que explica isso? Marcelo Silva, vice-presidente artístico e de produção da Record, arrisca algumas razões. A primeira, o fato de “A Terra Prometida” já ser a terceira novela bíblica no horário das 20h30 (considerando as duas partes de “Os Dez Mandamentos”). “O público demonstra que aceitou a ideia que escolhemos para contar histórias bíblicas, com um formato que desenvolve passagens marcantes da mais popular publicação do mundo”, disse ao UOL.

terraprometidasamaraEm segundo lugar, o executivo credita os números crescentes de audiência a uma movimentação maior na trama de Renato Modesto: “Nos últimos capítulos os hebreus foram derrotados (imagem no alto), puniram severamente um traidor e a vilã Samara (ao lado) provocou a morte do homem ao qual tinha prometido casamento. Ou seja, a história está cheia de grandes acontecimentos”, observa.

Por fim, Marcelo Silva reforça a opinião de que a novela conquistou uma audiência fiel, que não desgruda da televisão em tempo nenhum. “Mantivemos o horário, acumulamos experiências e estamos com uma história cheia de grandes emoções. E o público se acostumou com o horário”.

No ar desde o início de julho, ao longo de 25 semanas, a novela acumula uma média de audiência, até o momento, de 14,41 pontos.

Veja também
Com queda de muralha, “Terra Prometida” tem sua segunda melhor audiência

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo