Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Audiência do SporTV na Rio-2016 foi maior que a soma de todos concorrentes

Mauricio Stycer

25/08/2016 16h00

ecampeaoolimpicoAssim como ocorreu na TV aberta, o Grupo Globo registrou vitória muito expressiva em matéria de audiência na TV paga durante a Rio-2016 na comparação com o resultado de seus concorrentes.

O SporTV alcançou 38 milhões de pessoas ao longo de 2.400 horas de transmissão em 17 dias. Esse número é 27% maior que a soma de espectadores dos três concorrentes diretos (ESPN, Fox e BandSports) no mesmo período. Ou seja, os três outros canais alcançaram, juntos, cerca de 27 milhões de pessoas. O canal esportivo pago da Globo comemora, ainda, um crescimento de 29% em relação ao total de espectadores alcançados com a cobertura dos Jogos de Londres, em 2012.

Os canais de TV paga preferem usar o critério de "pessoas alcançadas" em vez de "pontos de audiência". Ele expressa a projeção dos números do Ibope multiplicado pela média de assinantes do canal. Durante a Rio-2016, o SporTV ofereceu 16 canais com transmissões olímpicas.

Em termos de audiência, a vantagem dos canais SporTV sobre os três concorrentes que exibiram os Jogos Olímpicos foi de 258%.

A dianteira do SporTV teve reflexos nítidos na cobertura tanto da ESPN quanto da Fox Sports. Em vez de se dedicarem com exclusividade à Rio-2016, ambos os canais investiram em programação normal (leia-se futebol e bate-papos esportivos).

Durante o período olímpico, SporTV e SporTV2 lideraram a TV por assinatura no horário nobre. O SporTV3 ainda ficou no Top 10. Nenhum dos concorrentes ficou entre os 10 mais.

Veja também
Em Olimpíada sem exclusividade, só a Globo cresceu com transmissão

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.