Blog do Mauricio Stycer

Em Olimpíada sem exclusividade, só a Globo cresceu com transmissão

Mauricio Stycer

22/08/2016 15h10

Em um arranjo pouco comum, o COI (Comitê Olímpico Internacional) negociou os direitos de transmissão da Rio-2016 com três emissoras de TV aberta brasileiras. O negócio não foi dos mais positivos, porém, para Record e Band. Só a Globo viu a sua audiência crescer no período.

Ao longo de todo o período da Olimpíada, a Record ficou em terceiro lugar no Ibope, atrás do SBT, que manteve a sua programação normal.

Segundo dados do Ibope, entre 3 e 21 de agosto, a Globo registrou crescimento de audiência em todas as faixas horárias, na comparação com seus números de junho e julho. Em São Paulo, entre 7h e 0h, a emissora teve média de 17 pontos (com 37% de participação), um crescimento de 2 pontos (13%) em relação à média. Na mesma faixa, a Record registrou perda de 2 pontos, enquanto SBT e Band se mantiveram com a mesma média.

No Rio, a média das 7h à 0h da Globo foi de 21 pontos (44% de share), um aumento de 3 pontos em relação à média. A Record perdeu, na média, 1 ponto, enquanto SBT e Band não tiveram alteração na média.

Detalhando os dados em duas das faixas principais, a Globo também festeja bons números. Em São Paulo, das 12h às 18h, alcançou 15 pontos (33% de share), um crescimento de 3 pontos (25%) em relação à média. E das 18h às 24h, o chamado horário nobre, marcou 27 (42 % de participação), um crescimento de 3 pontos (13%).

No Rio, das 12h às 18h, a emissora teve durante os Jogos média de 20 pontos (41% de participação), quatro a mais que o normal. E das 18h às 24h, registrou 30 pontos (48% de share), um crescimento de 3 pontos.

A transmissão da cerimônia de encerramento rendeu à Globo, em São Paulo, média de 27 pontos (39% de participação), um crescimento de 8 pontos em relação à média no horário. E, no Rio, 30 (com 49% de share), também um crescimento 8 pontos (36%) sobre a média. A audiência da cerimônia, nas duas cidades, superou o encerramento das cinco Olimpíadas anteriores.

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo