PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Em três dias, comunidade gay é ofendida por Patrícia Abravanel e Vídeo Show

Mauricio Stycer

10/05/2016 23h52

videoshoworafigueiredo2A semana ainda está longe de acabar, mas já se apresenta como uma das piores, na história recente, para a militância LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) na televisão.

No domingo (08), em pleno "Programa Silvio Santos", Patrícia Abravanel fez uma declaração claramente preconceituosa: "Eu não sou contra o homossexualismo [sic], mas sou contra falar que é normal."

Já nesta terça-feira (10), foi a vez do ator Orã Figueiredo e do apresentador Otaviano Costa rebaixarem a figura das travestis no "Vídeo Show". No papel de Hugo em "Totalmente Demais", o ator está contracenando com Juliana Paes (Carolina), Leona Cavalli (Gilda) e agora com Danielle Winits (Suellen).

"Pra quem foi casado com travesti em 'Tapas e Beijos', agora três mulheres lindas", disse Figueiredo, rindo. Ao fim da reportagem, Otaviano repetiu: "Pra quem foi casado com uma traveco, tá bem demais".

patriciaabravanel2016Ainda que tratada como piada ao longo do "Vídeo Show", a mesma observação do ator e do apresentador é altamente depreciativa para as travestis.

Já sobre Patrícia Abravanel, registro que muitos fãs disseram que ela tem todo o direito de opinar. Concordo, mas é preciso observar que esta sua opinião é ofensiva aos direitos de uma parcela da população. Dizer que os gays não são normais é tão grosseiro quanto afirmar que todos os seguidores de alguma religião são ignorantes.

Atualizado às 12h30: Em vídeo postado em sua conta no Instagram, Otaviano Costa afirma ter sido "infeliz" em seu comentário. Ele afirma abominar o preconceito "completamente" e reconhece que ignorava ser preconceituoso usar a palavra que utilizou.

Veja também
"Sou contra falar que é normal", diz Patrícia Abravanel sobre relação gay
"Peço desculpas se ofendi", diz Patrícia Abravanel após frase polêmica

Siga o blog no Facebook e no Twitter.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.