Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Eliza Machado ou Eliza de Assis: qual é o nome da ruivinha da novela?

Mauricio Stycer

08/03/2016 05h01

totalmentedemaiselizaPersonagens de novela frequentemente não têm sobrenome. Às vezes, porém, determinadas situações exigem que a figura conhecida por todos apenas pelo primeiro nome ou por um apelido precise de um sobrenome. Foi o que ocorreu com Eliza (Marina Ruy Barbosa), a protagonista de "Totalmente Demais".

TotalmenteDemaisElizaMachadoAo longo de 100 capítulos, a "ruivinha" é chamada de Eliza por todo mundo. Ninguém sabe ou se preocupa com o seu sobrenome. Apenas em dois momentos o sobrenome da jovem modelo foi mencionado. A primeira vez, bem lá trás, em 26 de novembro, quando Arthur (Fabio Assunção) a inscreveu no concurso Totalmente Demais. A ficha exibida em uma cena mostra que ela se chama Eliza Machado (à dir.).

totalmentedemaiselizaassis3Três meses depois, no capítulo do último dia 20, a jovem virou notícia em um site de fofocas, ao aparecer em uma festa com Arthur. Uma foto em que os dois estão próximos serviu de pretexto para a repórter insinuar que eles estão namorando. Na notícia, lida por Pietro (Marat Descartes) para Carolina (Juliana Paes), a ruivinha virou Eliza de Assis (clique em cima da imagem para ampliá-la).

A referência dos autores para batizar a personagem, evidentemente, foi o escritor Machado de Assis (1839-1908), mas eles se confundiram na hora de escrever a segunda cena. Consultada, Rosane Svartman confirmou o erro e se disse impressionada com a atenção do leitor que o notou. Sempre me surpreendo com isso.

Agradeço ao leitor Romário Jr. por me chamar a atenção para o erro.

Veja também
"Trama não precisa mais do concurso", dizem os autores de Totalmente Demais
Ibope de Totalmente Demais impressiona mais que recorde da A Regra do Jogo

Siga o blog no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.