PUBLICIDADE
Topo

Depois de abrir mausoléu de Dercy, Gugu fica às escuras no estúdio

Mauricio Stycer

04/02/2016 00h46

gugusemluz
Como anunciado com antecedência, Gugu Liberato voltou a apresentar o seu programa na Record "investigando" se o caixão de Dercy Gonçalves está de pé ou deitado no mausoléu da família em Santa Maria Madalena.

Gugu2016Dercy2O apresentador não conseguiu justificar qual seria o interesse jornalístico da empreitada ao longo dos 70 minutos que fez mistério sobre o assunto, Quando, finalmente, abriu o mausoléu, deu uma olhada rápida lá dentro e informou aos espectadores que o caixão está deitado. Em resumo, a montanha pariu um rato.

A outra grande atração da noite foi a presença da dupla sertaneja Bruno & Barreto, cujo maior feito até hoje foi passar vergonha no "Encontro com Fátima Bernardes" ao cantar de forma incompreensível uma canção.

Durante um número musical no palco de Gugu, ao vivo, a luz do estúdio apagou, mas os cantores seguiram cantando, até o apresentador interrompê-los e chamar um intervalo comercial.

O acidente, naturalmente, foi motivo das mais variadas piadas no Twitter. Veja abaixo o momento em que a luz caiu no estúdio.

Audiência: A volta de Gugu registrou 12 pontos de média em São Paulo (cada ponto equivale a 69,4 mil residências), deixando a Record em segundo lugar com folga sobre o SBT, que marcou 9 pontos de média no horário (22h05 à 0h11). Em comparação com a quarta-feira passada (5 pontos), a emissora registrou um crescimento de 140%.

Veja também
Gugu abre túmulo de Dercy e recebe sertanejos que pagaram mico na Globo
Gugu, ainda dá tempo de desistir de abrir o mausoléu de Dercy

O blog está no Twitter e no Facebook.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.