Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Globo não reconhece o erro, mas muda a logomarca de “Eta Mundo Bom”

Mauricio Stycer

15/01/2016 12h54

etamundobomnovologo4 etamundobomlogo A cinco dias da estreia, a logomarca de "Eta Mundo Bom" foi alterada. A mudança, sutil, ocorre uma semana depois de o blog apontar que o título da novela estava errado, ao ostentar um acento circunflexo na palavra "eta". A nova marca trocou o acento em cima da letra "e" por um chapéu em miniatura colocado na ponta da letra (imagem acima).

Questionada pelo blog no último dia 6, a Globo disse que a decisão de acentuar a palavra no título foi "uma liberdade artística para reforçar o acento caipira". Agora, depois de realizada a mudança, a emissora negou que o objetivo tenha sido corrigir o erro. "O ajuste foi para reforçar e deixar mais evidente que o acento marca o sotaque caipira, já que, de acordo inclusive com a sua matéria, isso não havia ficado tão claro".

A interjeição "eta" é citada sem acento nos dicionários "Houaiss" e "Aurélio" bem como no "Vocabulário Oficial da Língua Portuguesa". Ao lamentar que a Globo esteja usando uma grafia errada, o professor Pasquale Cipro Neto observou: "As pessoas adoram colocar acentos indevidos, sobretudo em determinadas palavras cuja vogal tônica tem timbre fechado. A veiculação dessa grafia certamente aumentará essa vontade e dará 'legitimidade' a ela."

No vídeo abaixo, reproduzido de uma entrevista que Walcyr Carrasco deu ao UOL Vê TV em outubro, o autor fala sobre a novela, explicando por que trocou o título original, "Candinho", para o atual e detalha alguns aspectos da história, como a homenagem a Mazzaropi (1912-1981).

Veja também
Globo promove a próxima novela das 18h com erro de português no título

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.