Blog do Mauricio Stycer

Petição com 30 mil assinaturas pede à Band a retirada do “Pânico” da grade

Mauricio Stycer

15/12/2015 07h01

panicocomiccon
Uma petição online coletou, ao longo de sete dias, 30 mil assinaturas pedindo à Band a retirada do “Pânico” da grade. A meta do abaixo-assinado virtual, ainda bem longe de ser alcançada, é conseguir 700 mil assinaturas.

O motivo da petição foi a (com aspas) “reportagem” do programa durante a Comic Con, exibida no último dia 6. Naquela ocasião, como foi amplamente divulgado, um “repórter” do programa lambeu uma entrevistada. “Não faz isso. Não tem a menor graça”, chegou a pedir, sem sucesso, a jovem.

Considero que a pressão de espectadores sobre emissoras e patrocinadores é uma forma legítima e democrática de manifestar oposição a conteúdos veiculados. Faz parte do jogo. Cabe ao outro lado, neste caso, à Band, saber administrar este tipo de pressão – no famoso episódio da piada de Rafinha Bastos, a emissora fraquejou e afastou o apresentador.

A petição recorda o histórico de inconvenientes do “Pânico”: “Já faz um tempo que o programa faz incentivo ao bullying e ao assédio físico e moral seja dos entrevistados, participantes e até mesmo telespectadores”. Não acho que isso justifique o fim de um programa, mas entendo a reclamação.

O problema maior do “Pânico” hoje, creio, é não conseguir oferecer nada além deste tipo de constrangimento. Como bem observou Leandro Sarubo em seu blog, o humorístico da Band deixou de lado o que sabia fazer de melhor, um olhar crítico e irônico sobre o mundo das celebridade e da televisão, por ações pouco inspiradas, realizadas por produtores muito jovens, “artificiais, ocos e desesperados pela fama”.

A petição online contra o “Pânico” é capaz até de provocar uma onda de simpatia pelo programa. Mas acho que ela tem a função, também, de fazer a cúpula do humorístico refletir um pouco sobre os seus passos atuais e a necessidade de encontrar novos caminhos.

Consultada, a Band informou que não comentará a petição.

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo