Blog do Mauricio Stycer

Com “barriga bíblica”, novela exibe até 10 minutos de reprise por capítulo

Mauricio Stycer

13/10/2015 05h01


Mesmo os maiores fãs de “Os Dez Mandamentos” já notaram que a novela entrou em uma fase de grande enrolação – uma “barriga”, como se diz no meio, de dimensões bíblicas.

Como qualquer emissora faria, a Record está esticando o seu maior sucesso de 2015 o quanto pode. A previsão é que “Os Dez Mandamentos” fique no ar até a segunda quinzena de novembro, mas ainda não foi anunciado oficialmente o dia do último capítulo.

As dez pragas enviadas por Deus ao Egito para pressionar Ramsés a libertar os hebreus estão servindo de pretexto para a encheção de linguiça. Da primeira à sétima praga, de 31 de agosto a 9 de outubro, já foram 30 capítulos. Seguindo este ritmo, é possível prever mais três semanas até a praga derradeira, que levará o faraó, finalmente, a deixar os hebreus partirem.

A emissora está reeditando os capítulos de forma drástica para esticá-los. Uma das maneiras de fazer isso é encher o episódio de flashbacks — cenas nas quais os personagens se lembram de situações ocorridas anteriormente.

Outra forma, mais preguiçosa, de fazer isso é aumentando o tempo dedicado ao resumo do capítulo anterior. Na última sexta-feira (09), por exemplo, os primeiros 10 minutos de um total de 54 do capítulo foram ocupados integralmente com cenas do episódio do dia anterior (08). Isso significa que 18%, ou quase um quinto do material exibido, não foi original.

O capítulo desta segunda-feira (12) começou mostrando parte das impactantes cenas da sétima praga exibidas na sexta-feira (09), que haviam sido exibidas originalmente na quinta-feira (08). Ou seja, com reprise da reprise.

Como a audiência não dá sinais de declínio, ao contrário, segue em curva ascendente, a estratégia da Record pode ser considerada bem-sucedida. Apaixonado pela novela, o público demonstra ter paciência de Jó para tanta enrolação.

Veja também
Difícil de gravar, 7ª praga em “10 Mandamentos” teve explosões e chroma key
Sucesso fez autora esticar a duração das pragas em “Os Dez Mandamentos”
Vilã inventada de “Os Dez Mandamentos” impulsionou a trama; veja sua saga!

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo