Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Após crítica,“Fantástico” refaz reportagem sobre “Que Horas Ela Volta?”

Mauricio Stycer

21/09/2015 05h01

quehoraselavolta

Há uma semana, sob o pretexto de falar do filme "Que Horas Ela Volta?", o "Fantástico" mostrou duas histórias de empregadas domésticas que convivem em harmonia com seus patrões. A reportagem, de Danilo Vieira, tratou do assunto de forma piegas sob a ótica da ausência de conflitos.

Em seu blog, no UOL, o crítico de cinema Ricardo Calil ficou, com razão, escandalizado. "A reportagem é um curioso caso em que se fez o marketing de um filme afirmando o contrário do que ele defende", escreveu no texto "Fantástico" reinventa "Que Horas Ela Volta?". A Globo Filmes, como ele lembrou, é co-produtora do filme de Anna Muylaert.

"Que Horas Ela Volta?", indicado para tentar representar o Brasil no Oscar, conta justamente a história do conflito que surge entre uma família de classe alta de São Paulo e a empregada de anos (vivida por Regina Casé) depois que ela decide trazer sua filha para morar na casa dos patrões.

Uma semana depois da reportagem e do texto de Calil, o "Fantástico" voltou ao assunto. O apresentador Tadeu Schmidt explicou: "As empregadas domésticas estão conquistando direitos, mas será que estão conquistando também o respeito do local de trabalho? Semana passada contamos algumas histórias felizes nesta relação. E agora a gente vai mostrar que muitas destas histórias não terminam bem".

A reportagem de Carla Vilhena, bem mais realista, lembrou que o filme de Anna Muylaert ajudou a tirar do subterrâneo "as histórias ruins, que todos nós conhecemos", de conflitos entre patrões e empregadas.

Abaixo, um trailer do filme:

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.