Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

"A Regra do Jogo" marca 31 pontos, a pior estreia de novela das 21h

Mauricio Stycer

31/08/2015 23h27

Cenas de "A Regra do Jogo"

Cenas de "A Regra do Jogo"

$escape.getHash()uolbr_tagAlbumEmbed('tagalbum','75862+AND+31015', ")

O primeiro capítulo de "A Regra do Jogo" marcou 31 pontos em São Paulo, segundo o Ibope (cada ponto equivale a 67 mil domicílios). O resultado dá à novela de João Emanuel Carneiro o título de pior estreia de novela das 21h. O recorde negativo anterior pertencia a "Império", de Aguinaldo Silva, que marcou 32 pontos no primeiro capítulo.

O "Jornal Nacional", excepcionalmente, teve duração de 51 minutos, contra 44 da última segunda-feira. No ar entre 20h30 e 21h37, o noticiário atrasou o início da novela em pelo menos 10 minutos.

Se a ideia era esperar o final de "Os Dez Mandamentos", a estratégia não funcionou muito bem. A novela da Record, também iniciada às 20h30, se prolongou até 21h50. O capítulo, conforme prometido, mostrou a primeira praga enviada por Deus contra o Egito. O capítulo marcou média de 19 pontos, sua maior audiência até hoje.

A estreia de "A Regra do Jogo" foi um sucesso no Twitter, pelo menos. O título da novela ficou em primeiro lugar entre os assuntos mais comentados no Brasil e emplacou ainda os nomes dos atores Alexandre Nero e Cauã Reymond entre os 10 mais.

Audiência em São Paulo do capítulo de estreia das últimas novelas das 21h:
Babilônia: 33
Império : 32
Em Família: 33
Amor à Vida: 35
Salve Jorge: 35
Avenida Brasil: 37
Fina Estampa: 41

Atualizado às 11h e às 12h30 de 1/9.

Veja também
Com média de 38 pontos no Ibope, "Avenida Brasil" estreia como assunto mais comentado no Twitter

O blog está no Twitter e no Facebook.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.