PUBLICIDADE
Topo

Mauricio Stycer

Com receio de perder audiência, Record desperdiça bons momentos do Pan

Mauricio Stycer

24/07/2015 05h01

panvolei

Comparado ao exagero da cobertura dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, em 2011, o investimento da Record em Toronto, este ano, parece mais sensato – mais de acordo com a relativa importância que a competição tem.

A decisão de reduzir o espaço do Pan em sua grade, porém, está mais relacionada ao momento da emissora, lutando para reconquistar a vice-liderança perdida para o SBT há um ano.

Diante da expectativa de baixa audiência em transmissões esportivas, a Record tem preferido manter parte de sua programação normal – até o já extinto "Programa da Tarde" teve preferência sobre os Jogos esta semana.

A emissora tem deixado a maior parte das transmissões para a Record News, cuja audiência é muito inferior. Também revendeu os direitos em TV paga para o SporTV, que está fazendo uma cobertura intensiva.

Por conta desta aposta em uma cobertura "light", a Record tem desperdiçado bons momentos do Pan. Nesta quinta-feira (23), por exemplo, a eletrizante disputa entre Brasil e Porto Rico no vôlei feminino não foi mostrada.

O horário do jogo coincidiu com o da novela "Os Dez Mandamentos" e o "Jornal da Record", dois programas em que a emissora coleciona ótimos resultados no Ibope. Pior para o espectador fã de esporte.

Veja também
. Meninas do vôlei suam, viram sobre P. Rico e vão tentar 1º bi em 50 anos
. Record troca abertura do Pan por novela, mas planeja 6h de jogos por dia
. Um terço de esportes do Pan tem transmissão ao vivo. Record e Sportv sofrem
. Record reduz equipe do Pan em mais de 60%; Globo não exibirá imagens
. Exibe quem paga mais

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.