Blog do Mauricio Stycer

Bem distante de “A Grande Família”, “Chapa Quente” aposta em humor batido

Mauricio Stycer

10/04/2015 01h19

ChapaquentehassumingridEncerrado o “BBB”, que ocupa um espaço fixo e diário na grade da Globo por quase três meses, a emissora reservou a noite de quinta-feira para a estreia de “Chapa Quente”. É a primeira comédia neste horário desde “A Grande Família”, que se despediu do público em setembro de 2014.

Muita gente entendeu, por isso, que a nova série seria uma espécie de sucessora da sitcom que ficou no ar por 14 temporadas. Claudio Paiva, o autor de “Chapa Quente”, foi roteirista de “A Grande Família”. O fiscal Mendonça, personagem de Tonico Pereira, fez uma participação especial na estreia da nova série. Lucio Mauro Filho, o Tuco, é um dos protagonistas.

Tem mais. São Gonçalo, segundo município mais populoso do Estado do Rio, terra de Agostinho Carrara, o genro que nenhuma sogra gostaria de ter, é o cenário de “Chapa Quente”. E a história se passa em um bairro de classe média baixa, como em “A Grande Familia”.

Um episódio é insuficiente para fazer afirmações muito categóricas. Ainda assim, apesar das muitas referências, parece haver bem pouco de “A Grande Família” em “Chapa Quente”, a começar pela humanidade dos personagens da primeira.

Houve também quem se lembrasse do subúrbio de “Pé na Cova” ao ver a nova série. Mas enquanto o programa de Miguel Falabella chama a atenção pelos tipos desajustados e pelo humor agridoce, “Chapa Quente” busca empatia com personagens bem batidos, piadas fáceis e o humor muito característico da dupla de protagonistas, Ingrid Guimarães e Leandro Hassum.

ChapaQuente2Ela é Marlene, a agitada dona de um salão de beleza, que esconde bebida alcoólica no pote de shampoo. Ele faz o marido, Genésio, que vive encostado na mulher, monta “escritório” dentro do bar e faz negócios com Marreta (Paulinho Serra), o típico picareta.

Há ainda Lucio Mauro Filho como um PM malandro, em dupla com o policial bobão (Eduardo Estrela), além de Tiago Abravanel e Renata Gaspar como assistentes do salão, ele fazendo papel de um gay fofoqueiro e ela como namorada de um presidiário.

Fiquei com a impressão de que “Chapa Quente”, diferentemente de “A Grande Família” e “Pé na Cova”, não quer correr risco algum nem fazer pensar muito. Que ao menos provoque boas gargalhadas – o que ficou devendo na estreia.

Veja também
Sucesso no cinema, Ingrid Guimarães e Hassum são casal em “Chapa Quente”
Ingrid Guimarães estranha gravar suada para viver personagem da periferia
Lúcio Mauro Filho volta em série substituta de “A Grande Família”

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo