Blog do Mauricio Stycer

Livro apresenta tudo que você queria saber sobre trilha sonora de novela

Mauricio Stycer

13/12/2014 05h01


Entender a história da música popular através da teledramaturgia brasileira é a ousada proposta de “Teletema”, de Guilherme Byran e Vincent Villari. Segundo os autores, nenhum outro tipo de programa de televisão foi “tão determinante para a construção do cenário musical brasileiro da década de 1970 em diante como a telenovela”.

Trata-se de uma impressionante pesquisa, tão minuciosa e detalhada que não coube em um único livro. O que acaba de ser publicado, com 512 páginas, é o primeiro volume, que abarca o período de 1964 a 1989. Um segundo ainda vai ser lançado.

TeletemaautoresBryan é jornalista e professor. Villari é igualmente jornalista e autor de novelas. O seu mais recente trabalho, em parceria com Maria Adelaide Amaral, foi a novela “Sangue Bom” (2013).

A dupla mostra em detalhes como as trilhas sonoras de novelas nasceram e se desenvolveram, até se tornarem elementos fundamentais para a tramas. Não menos importante, “Teletema” (Editora Dash, 512 págs., R$ 69,00) também demonstra como a própria criação músical se adaptou para atender a indústria de telenovelas.

Inicialmente visto com maus olhos, fazer trilha sonora de novelas foi se tornando um negócio atraente e rentável para emissoras, gravadoras e artistas. Bryan e Villari mostram que o “pulo do gato” do negócio foi dado em 1975, à época de “Pecado Capital”.

Guto Graça Mello se torna diretor musical de teledramaturgia da Globo e entende que as músicas de novelas devem estar umbilicalmente ligadas aos lançamentos dos artistas. É essa visão mais comercial que leva as trilhas a incluírem sempre “músicas de trabalho” de discos lançados no mesmo período das tramas.

TeletemacapaÉ neste período, também, que a Globo cria plataformas de exposição para os músicos brasileiros, os programas “Globo de Ouro” e “Fantástico”, que ajudam a promover as músicas incluídas nas novelas.

Não bastasse essa análise densa, Bryan e Villari se dedicam também ao trabalho inacreditavelmente detalhista de descrever cada trilha sonora de novela lançada no Brasil, em todas as emissoras. Para isso entrevistaram mais de 100 pessoas, entre autores, músicos, produtores e executivos de gravadoras.

Para quem pesquisa o assunto, ou precisa de alguma informação relacionada a música e novela, “Teletema” é não apenas indispensável, como seguramente o mais completo trabalho a respeito já feito. Lamento apenas que não conte com um índice onomástico, essencial em um estudo deste tipo.

No álbum de fotos no alto deste texto, os autores do livro “Teletema” comentam discos de dez novelas emblemáticas.

Leia também
“Teletema” mostra força das trilhas de novelas
Livro mostra como a novela fez trilha sonora do Brasil entre anos 60 e 80

O blog está no Twitter, Facebook e Google+.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo