Topo
Blog do Mauricio Stycer

Blog do Mauricio Stycer

Diretor vê motivação “política” e crítica à Globo em 7º lugar da Beija-Flor

Mauricio Stycer

08/03/2014 14h15

"Quando cantou o negócio da Globo disse que foi um tal de gritar 'Brizola' dentro dos módulos dos julgadores". A frase é de Laíla, diretor de carnaval e harmonia da Beija-Flor. É uma acusação grave, na qual o responsável pela escolha do enredo vê uma associação entre o mau resultado da escola, sétimo lugar, e uma eventual perseguição de jurados à Globo.

A Beija-Flor cantou "O astro iluminado da comunicação brasileira", fazendo uma homenagem a José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, diretor-geral da Globo por cerca de três décadas, no período em que a emissora se consolidou como a principal do país. "Boni tu és o astro da televisão. Fiz da sua vida minha inspiração", dizia o samba.

bonilailabeijaflorEm entrevista a "O Globo", divulgada no site (inclui um vídeo) e na versão impressa do jornal, o diretor da Beija-Flor (à dir.) vê motivação política na avaliação negativa que a escola teve. "Levaram para o lado da política, e eu não suporto política."

Leonel Brizola (1922-2004), o nome que teria sido gritado na cabine dos julgadores, foi governador do Rio Grande do Sul, no início dos anos 60, e do Rio de Janeiro, em dois mandatos, nos anos 80 e 90. Suas inúmeras brigas com Roberto Marinho (1904-2003) ficaram célebres.

Pela primeira vez em 21 anos, a escola de Nilópolis não vai participar do Desfile das Campeãs, que ocorre neste sábado (08), no Sambódromo. A entrevista de Laila pode ser lida aqui e vista aqui.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.