Blog do Mauricio Stycer

No final de “Amor Eterno Amor”, até o médico cético se "converte" à fé nos poderes divinos

Mauricio Stycer

07/09/2012 19h09

Com todo respeito aos fãs de “Amor Eterno Amor”, achei muito ruim a novela, encerrada nesta sexta-feira (7/9). Em especial, me incomodou o esforço da autora, Elizabeth Jhin, em fazer propaganda de religiões, experiências espirituais e práticas de caráter místico, tentando convencer o espectador do poder da fé.

Neste contexto, um personagem, o médico Gabriel (Felipe Camargo), teve um lugar importante na história. Ele representou o papel da ciência, do homem racional, cético em relação aos “dons” de premonição da própria filha, Clara (Klara Castanho).

Diferentemente dos vilões, todos também sem fé, Gabriel tinha a função de fazer um contraponto de aparência respeitável na novela. Todos os demais personagens positivos da trama manifestaram simpatia ou exibiram dons de caráter espiritual, místico e religioso em algum momento.

Mas, não satisfeita, a autora Elizabeth Jhin fez com que até Gabriel se rendesse aos poderes do além. Deu-se no penúltimo capítulo, numa cena em que o médico contracenou com o herói Rodrigo (Gabriel Braga Nunes).

Ambos estavam discutindo um sonho de Clara, segundo o qual a mocinha Miriam (Letícia Persiles) estava sendo mantida em cativeiro por Fernando (Carmo Dalla Vecchia) dentro de um farol.

Gabriel: Eu entendo que você esteja impressionado com os pesadelos que você teve com o farol, com as sessões de regressão, agora com o que a Clara te falou, mas… Isso é fantasioso demais.
Rodrigo: A polícia já foi avisada. Já está investigando o desaparecimento da Miriam pelas vias normais. Eu sei que, para você, é difícil entender e aceitar, mas eu confio nas intuições da Clara.
Gabriel: Eu também estou propenso a acreditar que a Clara tenha um dom. Vai contra tudo que eu sempre pensei e acreditei, mas eu me rendi. Eu acho hoje em dia que as coisas não precisam ter uma explicação racional. Enfim… Mas, nossa… o Fernando levando a Miriam pra um farol por causa de vidas passadas?
Rodrigo: Eu entendo. Entendo a sua dúvida. Eu respeito você, Gabriel. Mas eu vou atrás desse farol.

Não precisava ver o resto do capítulo para saber que, sim, o vilão escondia a mocinha em um farol, como sonhou Clara.

No capítulo final, a participação de Gabriel se resumiu a uma cena. Ele descobre que a mulher,  Beatriz (Carolina Kasting), está grávida. Clara tem uma visão e diz que eles estão esperando gêmeos. “Se a Clara falou, né?”, diz o médico, finalmente, convertido.

Em tempo: Para um balanço mais abrangente da novela, recomendo o texto do Nilson Xavier: Discurso doutrinário fez “Amor Eterno Amor” parecer uma novela de auto-ajuda.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo