Blog do Mauricio Stycer

Aviso aos fãs: Wagner Moura faz homenagem, mas não “encarna” Renato Russo

Mauricio Stycer

27/05/2012 13h33

Três anos atrás, quando cumpria temporada no palco do Teatro da Faap em São Paulo com “Hamlet”, Wagner Moura apresentou-se no Studio SP, na rua Augusta, à frente da banda Sua Mãe, especializada em música brega – ou “música superpopular brasileira”, como ele prefere.

Como relatei na ocasião, foi um show consagrador. Wagner Moura não é cantor, mas não passa vergonha com a voz. Mais: exibe-se no palco com uma segurança impressionante – como se fosse um músico profissional.

O líder de banda está de volta a São Paulo, agora à frente de um projeto mais comercial, mas não menos ousado: substituir Renato Russo (1960-1996) diante de Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá da Legião Urbana. Proposta da MTV, a volta do grupo com o novo cantor ocorre em dois shows, terça e quarta, no Espaço das Américas.

Neste sábado, houve um “show-surpresa” no mesmo Studio SP onde Sua Mãe se apresentou em março de 2009. Coloquei aspas em show-surpresa porque, embora não tenha ocorrido divulgação convencional, quase todo mundo que foi à casa noturna sabia que o grupo iria se apresentar lá.

Aviso aos fãs que irão ao Espaço das Américas: Wagner Moura não “encarna” Renato Russo, nem está interpretando o papel do criador da Legião Urbana. Quem nunca viu o ator como líder de uma banda pode ter a tentação de achar que ele está em meio a uma função teatral. Não é isso que ocorre.

É verdade que em alguns momentos ele deu a impressão de estar imitando a falta de jeito de Renato Russo no palco, mas quem está ali no show não parece um “cover”, e sim um cantor, realmente, fazendo uma homenagem pessoal a um ídolo.

“Essa banda mudou a vida da gente”, diz Moura antes de cantar “Teorema”. O pequeno show teve também “Andrea Doria”, que o ator disse ser sua música favorita do repertório da Legião Urbana, “Tempo Perdido”, “Ainda É Cedo”, “Quase Sem Querer” e “Pais e Filhos”, entre outras, num total de onze canções. O show oficial terá 25 músicas.

Moura, Dado e Bonfá, além do guitarrista de Sua Mãe, Gabriel Carvalho, conseguem passar a impressão de que formam uma banda – impressão ilusória, é claro, pois se reuniram para este encontro, mas sinal de que estão vivendo intensamente este momento. Para quem tem saudades da Legião, é uma baita homenagem.

[uolmais type=”video” ]http://mais.uol.com.br/view/12815004[/uolmais]

 

Em tempo: mais informações sobre o show-surpresa aqui, no blog da MTV.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo