Blog do Mauricio Stycer

Quem vai trazer os Beach Boys ao Brasil?

Mauricio Stycer

17/05/2012 11h01


Peço licença ao amigo Lucio Ribeiro por entrar na seara do seu Popload, mas é que tive a oportunidade de assistir a um dos grandes eventos musicais de 2012 e não resisti a comentar aqui: o reencontro de  músicos da formação original dos Beach Boys para um show em comemoração aos 50 anos da banda.

Brian Wilson, gênio criador e alma do grupo, não se apresentava com os Beach Boys desde o final da década de 60. Reconciliou-se com o vocalista Mike Love, seu primo, depois das mais variadas disputas jurídicas, e juntou-se ao baixista Al Jardine, ao tecladista Bruce Johnston e ao guitarrista David Marks para uma turnê de mais de 50 shows.

Intitulada The 50th Anniversay Tour, a volta dos Beach Boys já tem mais de 50 datas agendadas até o final de agosto nos Estados Unidos, Espanha, Itália, Suécia, Noruega, Bélgica, Japão, Cingapura e Hong Kong.

Assisti ao primeiro dos dois shows realizados em Nova York, no Beacon Theatre, na noite de 8 de maio. Teatro lotado, com muitos tiozinhos, mais velhos do que eu, mas também muita gente jovem, cantando junto todas as músicas.

Foram duas horas e meia de show, quase 40 músicas, com direito a um intervalo, porque os velhinhos não são de ferro. “Para vocês consumirem um pouco”, brincou Love, vestindo uma camisa florida e boné.

Generosos, tocaram todos os grandes sucessos da banda, além, é claro, de algumas músicas novas, de um CD que será lançado ainda este semestre.

Brian Wilson, que enfrentou diversos problemas de saúde, alguns associados ao uso de drogas, passou a maior parte do show sentado, diante dos teclados. Foi ovacionado de pé pela plateia em diversos momentos.

Carl Bernstein, repórter responsável pela cobertura do caso Watergate, estava entre os sessentões da plateia. Bem perto de mim, John Pareles, um dos mais respeitados críticos de música pop, anotava tudo em seu bloquinho. Dois dias depois, sua crítica elogiosa ao show ocupou a capa do caderno de cultura  do “New York Times” (o texto pode ser lido aqui, em inglês).

A volta dos Beach Boys é também o tema da capa da revista “Mojo”, editada na Inglaterra. A edição de junho, já nas bancas, traz como brinde o mítico CD “Pet Sounds”, de 1966, com todas as suas 14 faixas reinterpretadas por músicos da nova geração.

Fica, enfim, a dica a algum empresário brasileiro, para que traga os Beach Boys ao país. Ainda que esta volta da banda possa ter um lado “caça-níquel”, os tiozinhos estão dedicando-se com todo gás ao evento. Dá gosto de ver.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo