Blog do Mauricio Stycer

Jerusalém de Roberto Carlos é uma cidade cenográfica

Mauricio Stycer

11/09/2011 14h08

Do ponto de vista musical, “Roberto Carlos em Jerusalém” é um marco na carreira do Rei. Aos 70 anos, o cantor mostrou vitalidade, mudou o repertório que vinha repetindo há anos e arriscou-se em inglês, italiano e, até, em hebraico. Além disso, o carisma segue intacto, assim como a capacidade de emocionar gregos e troianos, e o vozeirão  espetacular.

O que não me convenceu no show foi a intenção de criar “tantas emoções” em Jerusalém. “Cantar é uma forma de oração”, disse Roberto Carlos logo no início do programa exibido pela Globo na noite de sábado.

Para um cristão fervoroso como ele, Jerusalém é uma cidade-símbolo, assim como é para judeus e muçulmanos. “Jerusalém da humanidade”, disse o Rei. Mas como transferir essa carga de símbolos para um espetáculo musical?

Os responsáveis por “Roberto Carlos em Jerusalém”, seu empresário, Dody Sirena, e o diretor Jayme Monjardim, da Globo, optaram por um formato asséptico, livre de polêmicas, que resultou absolutamente sem vida.

As visitas de Roberto Carlos ao Santo Sepulcro, ao Monte das Oliveiras e ao Muro das Lamentações, vistas pelo espectador, pareciam publicidade de agência de viagem. Sem som ambiente, sem contato com a gente do lugar, sem “emoções”, enfim, o périplo do cantor por Jerusalém deu a impressão de que estava numa cidade cenográfica.

Impressão, aliás, reforçada pelo cenário do palco onde ele se apresentou. Roberto Carlos estava em Jerusalém, mas podia estar no Projac. Não faria a menor diferença. O Rei cantou numa Jerusalém idealizada, sem conflitos, sem vida. Uma cidade dos sonhos – dele e de seus fãs.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo