Blog do Mauricio Stycer

Silvio Santos ironiza a Record e diz que a Globo é um “muro”

Mauricio Stycer

22/08/2011 10h05

Bem à vontade, de chinelos, short rosa e camisa florida, Silvio Santos foi sabatinado por funcionários do SBT no Hotel Jequitimar, no Guarujá, por ocasião dos 30 anos da emissora. Na sua primeira intervenção, o empresário e apresentador reafirmou que a ambição de sua emissora é mesmo a vice-liderança. Ultrapassar a Globo é impossível, disse, fazendo uma menção “especial” à emissora que concorre com o SBT pelo segundo lugar:

Nós de televisão estamos vendo que por mais que a Record queira se aproximar da Globo, em todos esses anos ela não passou de onze pontos e ultimamente ela tem caído para dez, nove, oito pontos. O que significa que o público, dificilmente, vai deixar a Globo. A Globo é um muro. E ultrapassar esse muro a gente só consegue de vez em quando. É claro que se você tem um jogo de futebol entre Corinthians e São Paulo na Bandeirantes, isso pode dar 30, 40 pontos, mas no dia seguinte as pessoas voltam para a Globo. A gente já sabe que lutar contra a Globo, na minha opinião, é impossível.

Questionado sobre os “segredos do Silvio Santos empresário”, ele respondeu, primeiro, que não se importa “com elogios e críticas”. Depois ensinou:

Se você vai entrar num mercado, não importa que ele tenha um líder, e que você nunca possa se aproximar do líder. Se você não sonhar alto, se você administrar bem a sua empresa com os pés no chão, não se preocupando nem com o primeiro colocado, nem com o segundo, nem com o último, se você fizer aquilo que a sua intuição manda, e usar o bom senso, deixando de lado a vaidade, você tem todas as possibilidades de conseguir o seu objetivo.

E a lição prosseguiu:

Só não consegue o seu objetivo quem sonha demasiado, quem pretende dar o passo mais alto que a perna, quem acredita que as coisas são fáceis. Todas as coisas são difíceis. Todas as coisas têm que ser lutadas. Quando você consegue uma coisa fácil, desconfie. Porque ela não é tão fácil quanto parece. Continue trabalhando, continue apostando na sua intuição, continue com os pés no chão, e não se importe com o que a sua esposa fala, com o que os seus filhos falam, com o que os seus amigos falam. Se importe com aquilo que você vive, o seu dia-a-dia. Pelo menos foi assim que eu consegui, de camelô a ser banqueiro (risos).

Silvio Santos disse ainda que seu grande sonho sempre foi ter uma vida de classe média:

Sempre sonhei em ter no Brasil uma vida como os americanos têm nos Estados Unidos. Eu sempre achei que a melhor maneira de se viver é se viver como um cidadão de classe média. Tudo aquilo que passa de alguém que possa ter o suficiente para viver como um cidadão de classe média, na minha opinião, amalucada, como eu já disse, é troféu. O dinheiro para mim representa apenas troféus de sucesso, troféus de vitória.

O longo discurso, quase uma palestra de auto-ajuda, foi exibido na noite de domingo, no SBT. Veja abaixo:

[uolmais type=”video” ]http://mais.uol.com.br/view/11986311[/uolmais]

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo