PUBLICIDADE
Topo

Diretor nega plágio e explica “referências” a filmes americanos em “O Astro”

Mauricio Stycer

06/08/2011 00h54

A morte de Salomão Hayala na nova versão de "O Astro", apresentada na noite de quinta-feira, despertou a curiosidade dos fãs de "Watchmen", a famosa HQ levada aos cinemas por Zack Snyder. A queda do personagem pela janela, de costas, com um botão de roupa no ar,  em destaque, é muito semelhante à do personagem Comediante no filme, exibido em 2009.

Em questão de horas, diferentes vídeos foram postados na internet cotejando as duas cenas. No Twitter, teve início uma discussão sobre a semelhança. Para muitos fãs, tratou-se de um "plágio" descarado, uma "cópia" sem créditos.

Pessoalmente, entendi que foi uma "homenagem", mas resolvi questionar o diretor da novela, Mauro Mendonça Filho. Enviei a ele o link de um vídeo que compara as duas cenas e perguntei se ele concordava com o leitor que apontava "cópia" de "O Astro".

Mendonça Filho reconheceu o uso de "Watchmen" como uma "referência" na novela.  "Não tenho o menor problema em dizer isso. Acho uma baita hipocrisia essa patrulha da originalidade", escreveu.

Ainda no Twitter, o jornalista James Cimino, do UOL Televisão, observou que uma outra cena de "O Astro", exibida na sexta-feira, em que os personagens recém-saídos da festa de Salomão Halaya se reúnem na delegacia, foi inspirada no filme "Gosford Park", de Robert Altman, exibido em 2001. "Mais uma na mosca", confirmou Mendonça Filho.

Abaixo, a íntegra da resposta do diretor de "O Astro" ao meu questionamento sobre a semelhança da cena da morte de Salomão Hayala com a do Comediante em "Watchmen":

Existe uma enorme cadeia de referências, que vão se repetindo, às vezes invisíveis, às vezes não, em todo o audiovisual. É lógico, que sim. Não tenho o menor problema em dizer isso. Acho uma baita hipocrisia essa patrulha da originalidade. E na escrita, o mesmo. Você percebe o estilo de Moliére em Ariano Suassuna. Qual jornalista pop não bebeu em Hunter Thompson? O aclamado "Kill Bill" (de Quentin Tarantino), que é um baita filme. É todo igual ao origianl do Bruce Lee. Até o macacão amarelo é igual.

Assista ao vídeo que compara as duas cenas:

[uolmais type="video" ]http://mais.uol.com.br/view/11914679[/uolmais]

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.