PUBLICIDADE
Topo

Entenda por que Tiago Leifert perdeu a calma e ofendeu o UOL

Mauricio Stycer

12/05/2011 13h19

Uma nota publicada na tarde de quarta-feira no UOL Esporte informava: "Tiago Leifert reclama de exposição e defende que Globo 'esconda' Olimpíadas.  O texto foi escrito com base nas seguintes afirmações do apresentador do "Globo Esporte" à revista "GQ":

GQ: "Você disse num evento: 'Esqueça o romantismo nos esportes, é tudo negócio. As pessoas vendem os direitos'. É isso mesmo?
Tiago Leifert:  "É verdade. Na hora de conversar sobre direitos esportivos a gente tem que perder o romantismo. Eu sou muito cobrado: 'Por que você não fala de Fórmula Indy?' Simples: porque eu não tenho o direito de falar de Fórmula Indy, meu amigo! Existe uma ideia errada de que a Globo tem que falar de tudo porque o cara quer ver tudo na Globo. Meu amigo, muda de canal pra ver a sua notícia! Não tem Fórmula Indy na Globo, não vai ter Panamericano na Globo, não vai ter Olimpíada na Globo! Essa cobrança é puro romantismo! A gente tem que perder essa mania de achar que tudo é uma força do mal. Não é isso, é negócio. Quem paga mais leva e quem leva exibe".

No mesmo dia, pela manhã, o mesmo UOL Esporte havia publicado a última parte da entrevista que fiz com Octavio Florisbal, diretor-geral da Rede Globo, justamente sobre este tema. Perguntei a ele explicitamente: "A Globo vai esconder os Jogos Olímpicos de 2012?" Veja a sua reposta:

Octavio Florisbal: Os direitos dos Jogos Olímpicos de 2012 pertencem, em TV aberta, à Record. Nossa cobertura, de acordo com o que está estabelecido no COI, e com o que prevê a Lei Pelé, será o que chamamos de "fair use". Quer dizer, tem uma partida de vôlei e você tem direito a três minutos para exibir nos seus telejornais. Não pode comercializar, não pode ter patrocínio. No nosso caso, vamos fazer uma cobertura jornalística esportiva do evento em si. Até porque não pode ser diferente.

Não [vamos esconder]. Porque temos um acordo de longo prazo com as principais federações e confederações olímpicas. Nós temos com eles um projeto de longo prazo. Não vamos prejudicar este projeto por causa de 2012. Lamentavelmente, decidimos não concorrer por um valor que foi colocado, então vamos cobrir jornalisticamente. Não vamos esconder, não.

Tiago Leifert se irritou com a nota publicada no UOL Esporte e fez afirmações graves sobre o trabalho dos meus colegas. Espero que ele se desculpe. Creio que os dois textos falam por si e explicam o seu destempero.

Em tempo: A íntegra da entrevista de Leifert à "GQ" pode ser lida no site do fotógrafo J.R.Duran.

Sobre o autor

Mauricio Stycer, jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 30 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na "Folha de S.Paulo". Começou a carreira no "Jornal do Brasil", em 1986, passou pelo "Estadão", ficou dez anos na "Folha" (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o diário esportivo "Lance!" e a revista "Época", foi redator-chefe da "CartaCapital", diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros "Topa Tudo por Dinheiro - As muitas faces do empresário Silvio Santos" (editora Todavia, 2018), "Adeus, Controle Remoto" (Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e "O Dia em que Me Tornei Botafoguense" (Panda Books, 2011).

Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

Mauricio Stycer