Blog do Mauricio Stycer

Tipos de leitor: o Consultor de Empresas

Mauricio Stycer

22/03/2011 11h30

Não poderia escrever uma série sobre os leitores que frequentam blogs e o Twitter sem mencionar o tipo mais espantoso que já encontrei na rede. Trata-se do Consultor de Empresas, com especialização em Recursos Humanos.

Sua tarefa principal é orientar o empregador do blogueiro sobre a pertinência, ou não, de mantê-lo no quadro de funcionários ou colaboradores da empresa.

Como no Velho Oeste, o Consultor de Empresas primeiro atira, depois pergunta. “O UOL precisa demitir este sujeito. Como pode um portal deste nível manter um blogueiro como ele?”

É difícil traçar um perfil do Consultor de Empresas. Ele pode ser tanto homem quanto mulher. Sua idade também é indefinida. Já observei que até crianças atuam na função. Muitos são adolescentes, mas também há adultos e idosos entre os profissionais desta área.

Ele está sempre rodeando o blog, pronto para pedir a cabeça do autor quando se sente incomodado com algum assunto. Às vezes faz chantagem: “Vou cancelar minha assinatura se este sujeito continuar escrevendo…”

Em três situações específicas, reuni um congresso de consultores de empresa. A primeira, ainda no BBB10, quando escrevi um texto pedindo ao público para não eliminar a candidata Tessália, até então responsável pelas principais intrigas da casa.

Na segunda vez, o tumulto ocorreu quando escrevi sobre “Nosso Lar”. Embora tenha sido um comentário sobre o filme, muitos leitores enxergaram uma inexistente ofensa ao espiritismo. Um Consultor de Empresas organizou uma campanha, com adesão de vários colegas, pedindo minha cabeça.

Mais recentemente, ao escrever sobre a participação de Ronaldo no programa “CQC”, novamente atrai um verdadeiro exército de consultores de empresa ao blog, todos pedindo minha demissão ou lamentando a minha presença no UOL pela ousadia de dizer que Marcelo Tas & Cia bajularam o Fenômeno.

O Consultor de Empresas é o tipo mais lamentável que já encontrei por aqui. Ele vive e se alimenta do ambiente mais democrático que existe, a internet, mas é incapaz de argumentar ou defender as suas ideias, além de bradar de forma autoritária contra quem formula opiniões que o incomodam.

Em tempo: A série “Tipos de Leitor” começou com o Crítico de Assunto e depois com o Contrabandista.

Sobre o autor

Jornalista, nascido no Rio de Janeiro em 1961, mora em São Paulo há 29 anos. É repórter especial e crítico do UOL. Assina, aos domingos, uma coluna sobre televisão na “Folha de S.Paulo''. Começou a carreira no “Jornal do Brasil'', em 1986, passou pelo “Estadão'', ficou dez anos na “Folha'' (onde foi editor, repórter especial e correspondente internacional), participou das equipes que criaram o “Lance!'' e a “Época'', foi redator-chefe da “CartaCapital'', diretor editorial da Glamurama Editora e repórter especial do iG. É autor dos livros “Adeus, Controle Remoto'' (editora Arquipélago, 2016), “História do Lance! – Projeto e Prática do Jornalismo Esportivo” (Alameda, 2009) e “O Dia em que Me Tornei Botafoguense'' (Panda Books, 2011).
Contato: mauriciostycer@uol.com.br

Sobre o blog

Um espaço para reflexões e troca de informações sobre os assuntos que interessam a este blogueiro, da alta à baixa cultura, do esporte à vida nas grandes cidades, sempre que possível com humor.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Blog do Maurício Stycer
Topo